Prefeitura pensa em obrigar comércio a seguir escalonamento em Goiânia

Adesão voluntária ao escalonamento alcançou apenas 15% dos empresários desde o dia 29 de abril

Novo escalonamento entra em vigor na quarta-feira (20). Confira
Multa para loja que desrespeitar escalonamento será de R$ 5 mil em Goiânia

A prefeitura de Goiânia estuda tornar obrigatório o escalonamento de horários de funcionamento para o comércio nos próximos dias. Desde 28 de abril, a adesão é voluntária. Apenas 15% dos empresários da Capital acataram a recomendação do prefeito Iris Rezende (MDB). Outros 60% continuam a abrir das 7 às 18h. 

Na manhã desta quinta-feira, a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico (Sedetec) divulgou estudo feito entre os dias 29 e 6 de maio que mostrou que 46% das 2,240 pessoas pessoas entrevistadas atuam em segmentos que não estão liberados para atuar.

Os dados serão levados à próxima reunião do comitê de crise e deverá servir para ajustes no decreto. “Muitos responderam fazer parte do segmento serviços gerais, o que não estava previsto no decreto e será usado por nós para possíveis ajustes no escalonamento, como inclusão de novos segmentos e mudança no horário de entrada”, diz o secretário Walison Moreira, da Sedetec. 

Walison reconhece que há possibilidade de mudar a recomendação para determinação.”A intenção da prefeitura, num primeiro momento, era de recomendar, mas vimos que apenas cerca de 15% dos empresários entenderam a importância de diluir o fluxo no transporte coletivo. As pessoas ao não flexibilizarem o horário da empregada doméstica, por exemplo, coloca a própria família em risco e também a profissional”.

Caso a recomendação vire ordem, os agentes da Central de Fiscalização Covid-19 terão poder para notificar, multar, interditar e oferecer denúncia na justiça. “Existem muitas pessoas trabalhando em empresas que não poderiam estar abertas. Essa conclusão precisa de mais análise para comprovação estatística”, diz o relatório. 

O escalonamento

Veja como é o escalonamento proposto pela prefeitura no dia 28 de abril: 

Começam entre 5 e 6 horas

  • Limpeza urbana e coleta de lixo, excetuada a limpeza púbica
  • Postos de Combustíveis
  • Panificadoras

Começam entre 6 e 7 horas

  • Área de saúde, como serviços ambulatoriais em hospitais, clínicas, laboratórios, etc;
  • Indústrias alimentícias
  • Indústrias farmacêuticas/medicamentos
  • Construção Civil
  • Supermercados

Começam entre 7 e 8 horas

  • Empregados domésticos e diaristas;
  • Vigilantes, zeladores e porteiros;
  • Farmácias e drogarias;
  • Oficinas mecânicas e borracharias;

Começam entre 8 e 9 horas

  • Lojas de produtos agropecuários e veterinários;
  • Hospitais e clínicas veterinárias;
  • Agências lotéricas;

Começam entre 9 e 10 horas

  • Bancos
  • Revendas/concessionárias de veículos;
  • Barbearias e salões de beleza.