Prefeitura quer que grandes geradores de lixo paguem por coleta

Condomínios, supermercados e shoppings já começaram a ser notificados. Segundo a Comurg, o objetivo é estimular a coleta seletiva

A Prefeitura de Goiânia começou a notificar imóveis considerados grandes geradores de lixo para que se responsabilizem pela coleta, transporte e destinação final de seus resíduos. Com isso, torna-se competência dos responsáveis destes imóveis contratar empresas devidamente autorizadas para realizar a coleta, transporte e destinação final destes resíduos.

“A Prefeitura está seguindo o que determina a lei e seguindo um modelo mundial de preservação ambiental”, explica o presidente da Agência de Regulação de Goiânia, Paulo César Pereira. O objetivo, diz o presidente, é reduzir, reutilizar e estimular a coleta seletiva e a reciclagem do lixo gerado na cidade. A Prefeitura de Goiânia regulamentou via decreto nº 2.639, de 13/9/2017, a Lei Municipal nº 9.498, de 19/11/2014 que põe em vigor a cobrança de grandes geradores de lixo.

De acordo com a Companhia de Urbanização de Goiânia (Comurg), para a identificação dos grandes geradores foram levantados os dados do armazenamento – tamanho da lixeira, quantidade de contêiner e/ou sacarias – e considerada a frequência de coleta no local. A partir de então houve a multiplicação dos dados para encontrar a litragem diária.

A diretora do Sindicato Das Empresas de Compra, Venda, Locação e Administração de Imóveis e dos Condomínios Horizontais, Verticais e de Edifícios (Secovi), Luiza Barbosa de Oliveira, afirma que diversos condomínios de Goiânia já foram notificados e a medida desagradou os moradores. “É muito injusto. O lixo é acumulado, mas pouco é produzido em cada apartamento. Vamos fazer reuniões com vereadores e pedir que eles fiquem do nosso lado”, afirma Luiza.

A Comurg recolhe aproximadamente 50 mil toneladas de resíduos domiciliares por mês, sendo que 40% são provenientes dos grandes geradores. Algumas empresas como shoppings e grandes redes de supermercados já usavam o serviço particular.