Presidente da Câmara defende que praças do Setor Sul possam ser reformadas por vizinhos

População reclama que estes locais estão abandonados e que esta negligência tem causado o aumento das ocorrências de crime na região

Acontece às 19h30 horas desta quinta-feira (5), no Conselho Regional de Contabilidade (próximo à Praça do Cruzeiro), audiência pública para debater o uso de praças no Setor Sul. A população reclama que estes locais estão abandonados e que esta negligência tem causado o aumento das ocorrências de crime na região. O encontro foi proposto pelo presidente do poder Legislativo da Capital, vereador Romário Policarpo (Patriota).

O vereador defende a implantação de programa nos moldes do “Adote Uma Praça” (criado pela prefeitura de Goiânia, em que pessoas físicas e jurídicas assumiam a responsabilidade de reformar e/ou manter espaços públicos por um período de três anos). Mas com uma diferença: Policarpo defende que a parceria do poder público seja apenas com moradores da vizinhança. Ao Mais Goiás, o vereador explica que não é objetivo dele conceder permissão de construção de prédios no bairro.

“Eu não desejo que nas praças se construam prédios, são questões diferentes. O que desejo é o fechamento dos locais para que as pessoas que moram na região possam cuidar do espaço, funcionando como o jardim de um condomínio. A gente não vai autorizar a construção dessas praças”, declarou.

O presidente explicou que a intenção é de ouvir as pessoas que moram nos espaços e discutir o tema no mesmo instante em que o ordenamento urbano está sendo debatido no projeto de atualização do Plano Diretor na Câmara.

“Queremos ouvir quem frequente a região, quem mora nos locais, pois o ideal é que a prefeitura cuide dos locais, mas ela ao longo dos anos nunca cuidou e a gente não pode neste momento de discussão do Plano Diretor ouvir de fato as pessoas que sofrem com o problema, mas há uma grande quantidade de roubos e desejamos uma segurança maior para as pessoas”, disse.