Presídios voltam a permitir visitas de familiares aos detentos em Goiás

Mais de 50 mil familiares serão impactados pela medida

A Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP) vai voltar a permitir visitas de familiares aos presos do sistema penitenciário de Goiás. De acordo com a pasta, o processo será feito de forma gradual e através de quatro modalidades de visitação, sendo uma delas a virtual, com videoconferência.
Espaço de convivência familiar utilizado nos presídios do Ceará: modelo semelhante será construído em Goiás (Foto: Divulgação – Dgap)

A Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP) vai voltar a permitir visitas de familiares aos presos do sistema penitenciário de Goiás. De acordo com a pasta, o processo será feito de forma gradual e através de quatro modalidades de visitação, sendo uma delas a virtual, com videoconferência.

As visitas presenciais acontecerão nos chamados parlatórios, espaços lúdicos e convívio familiar. Cada detento terá o direito a até três visitas por mês de familiares, divididas nas quatro modalidades.

Para fazer isso acontecer, nos próximos 30 dias, a DGAP irá cadastrar ou recadastrar os familiares que quiserem ter acesso às visitas.

Espaço lúdico construído Unidade Prisional Regional de São Luís de Montes Belos (Foto: Divulgação – Dgap)

Espaço lúdico construído Unidade Prisional Regional de São Luís de Montes Belos (Foto: Divulgação – Dgap)

A Dgao afirma que o retorno das visitas já estava sendo programado há mais de seis meses, desde que a pandemia iniciou uma curva de queda no país.

Presídios voltam a permitir visitas: entenda cada modalidade

As modalidades parlatório e virtual já foram implementadas em boa parte das unidades prisionais de Goiás, segundo a Dgap. No parlatório, o tempo de interação máxima com o detento é de 30 minutos, enquanto no virtual, até 20 minutos.

No que diz respeito à visitação em espaços lúdicos, sem carceragem, os detentos podem ter acesso às visitas crianças e descendentes (menores de 18 anos) filhos dos privados, com duração máxima de 45 minutos. Entretanto, apenas os presídios de São Luís de Montes Belos e Luziânia já contam com o local. Segundo a Dgap, outros presídios já estão com obras de adaptação.

Parlatório na Unidade Prisional Regional de Corumbaíba: tempo de visita é de 30 minutos (Foto: Divulgação – Dgap)

Parlatório na Unidade Prisional Regional de Corumbaíba: tempo de visita é de 30 minutos (Foto: Divulgação – Dgap)

Os espaços de convívio familiar serão construídos e/ou adaptados também de de forma gradual, mas apenas nas unidades prisionais que comportarem essas obras, segundo a pasta. Nestes espaços, as visitas terão duração máxima de 30 minutos.