Preso em operação contra pornografia infantil já havia sido autuado em 2020

Quantidade de material apreendido com um dos três suspeitos localizados hoje surpreendeu os policiais

Imagem ilustrativa de uma ação da Polícia Civil de Goiás contra crimes cibernéticos (Foto: Divulgação/PC)
Imagem ilustrativa de uma ação da Polícia Civil de Goiás contra crimes cibernéticos (Foto: Divulgação/PC)

Três suspeitos de armazenar e compartilhar pornografia infantil foram presos e autuados em flagrante nesta quarta-feira (9) em Goiás durante operação coordenada pela Delegacia Estadual de Combate aos Crimes Cibernéticos (DERCC). Um deles já havia sido autuado pelo mesmo crime durante operação semelhante, desencadeada no ano passado.

A ação policial que foi realizada hoje em 18 estados do Brasil e em outros cinco países cumpriu, em Goiás, seis mandados de busca e apreensão: em Cidade Ocidental, Rio Verde, Anápolis, Aparecida de Goiânia, e Valparaíso. Chamou a atenção – durante as prisões realizadas em Rio Verde, Anápolis, e Aparecida de Goiânia – a quantidade de material pornográfico infantil apreendido com um dos investigados.

“Todos os três agora autuados trabalham com tecnologia da informação, por isso têm facilidade para baixar e compartilhar esse material. Mas o que mais impressionou foi a quantidade de arquivos apreendidos com um deles, em Anápolis. Este sujeito tinha dois terabytes de arquivos. Outro suspeito que mora em Rio Verde e que também foi autuado hoje já havia sido preso, pelo mesmo crime, em outra etapa desta mesma operação”, destacou a delegada Sabrina Lelis, titular da DERCC.

Os três presos, que não tiveram nomes nem idades divulgados, responderão por compartilhar ou armazenar material com pornográfica infantil, delito que tem pena prevista, de dois, até quatro anos de prisão, mais o pagamento de multa.

Leia também:

Operação nacional contra pornografia infantil cumpre mandados em Goiás; 2 foram presos