Presos suspeitos de matar travesti a tiros em Goiânia

Crime teria sido motivado por dívidas de drogas; veículo e pistola usados no assassinato foram apreendidos

A Polícia Militar prendeu três suspeitos de matar uma travesti a tiros em Goiânia. O crime ocorreu em abril deste ano. (Foto: reprodução)
A Polícia Militar prendeu três suspeitos de matar uma travesti a tiros em Goiânia. O crime ocorreu em abril deste ano. (Foto: reprodução)

Militares da Rondas Ostensivas Táticas Metropolitana (Rotam) prenderam, no final da noite de quinta-feira (12), três suspeitos de matar uma travesti a tiros, em Goiânia. O crime ocorreu no último mês de abril, na Vila Aurora, e foi motivado por dívida de drogas. Um carro e a pistola que teriam sido usados no homicídio foram apreendidos.

Imagens de câmeras de segurança de uma residência registraram o assassinato da travesti, que tinha 25 anos. No dia 22 de abril, ela caminhava arrastando uma mala de rodinhas pela Rua 5, na Vila Aurora, quando foi perseguida por um homem e alvejada nas costas com pelo menos quatro disparos. A vítima morreu na hora.

Na noite de quinta (12/05), após troca de informações com militares do Serviço de Inteligência, equipes da Rotam localizaram, no Setor Sudoeste, os três suspeitos de terem participado da execução da travesti.

Também foram apreendidos um carro modelo Gol, que teria dado fuga ao atirador; uma pistola calibre 7.65; três tubos de lança perfume e porções de drogas.

Travesti já tinha sido vítima de tentativa de homicídio no ano passado

Em depoimento gravado pelos PMs, um dos presos, que tem 21 anos, confessou ter assassinado a travesti. Ele disse que tinha uma “guerra” com a vítima, e que já teria tentado matá-la a tiros em 2021.

Segundo o relato, o encontro entre o suspeito e a travesti teria sido combinado por um amigo, que tem 23 anos, e que também foi preso. Este amigo era quem dirigia o carro na noite do crime.

O dono do Gol, que também foi detido, afirmou que emprestou o veículo para um amigo sem saber que ele praticaria o assassinato.

De acordo com a Rotam, o crime foi motivado por uma dívida de drogas que o autor do disparo teria com a travesti. Os três presos foram encaminhados para a Central Geral de Flagrantes (CGF) de Goiânia.