Primas de 4 e 7 anos são mortas na porta de casa em tiroteio em comunidade do RJ

As meninas chegaram a ser levadas para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Sarapuí, mas não resistiram aos ferimentos

Duas meninas, de 4 e 7 anos, foram mortas durante um tiroteio em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, na noite da última sexta-feira (4). As vítimas eram primas e brincavam no portão de casa por volta das 20h30, quando foram baleadas: uma na cabeça e a outra no abdômen. O caso tem gerado revolta nas redes sociais.

Segundo os moradores, policiais militares tentaram abordar duas pessoas que estavam em uma motocicleta e houve pelo menos três disparos. Emily Victória Silva dos Santos, de 4 anos, foi atingida na cabeça. Já Rebeca Beatriz Rodrigues dos Santos, de 7, no tórax. Familiares cobram por justiça pelas mortes das duas crianças.

“Eram crianças que estavam brincando. Elas tinham terminado de tomar banho e foram pro portão da casa da avó e aconteceu tudo isso. Estamos todos desolados. Infelizmente elas viraram estatística, não era o nosso sonho. A gente vê que cada vez o pobre é tratado com frieza. Eles não tiveram nem o cuidado de olhar para a direção de em quem eles poderiam acertar. Simplesmente atiraram, isso nos causa muita indignação. Eles chegam nas comunidades para atirar, nosso salário paga a segurança, e qual a segurança que a gente tem? Nenhuma!”, lamentou a prima Ana Lúcia Alves de Souza, de 51 anos, ao UOL.

De acordo com os moradores, os vizinhos levaram as primas para a Unidade de Pronto Atendimento de Sarapuí. Porém, segundo a prefeitura de Duque de Caxias, elas chegaram mortas à UPA.

Emily, que faria 5 anos aniversário do fim desse mês, teria a primeira festa de aniversário. O tema da comemoração seria voltado para a princesa Moana, da Disney. Ela foi sepultada com a roupa que usaria na festinha ao lado da prima.

PM sobre o caso das primas

Em nota, a PM informou que uma equipe policial do 15º BPM estava em patrulhamento quando disparos de arma de fogo foram ouvidos. “Não houve disparos por parte dos policiais militares. A equipe seguiu em deslocamento. Posteriormente, o batalhão foi acionado para verificar entrada de duas pessoas feridas na UPA Caxias 2 (Sarapuí). No local, o fato foi constatado e tratavam-se de duas crianças. Ocorrência a cargo da Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense.”

A Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF) irá investigar o caso. De acordo com a plataforma Fogo Cruzado, 22 crianças com menos de 12 anos foram baleadas na região metropolitana do Rio desde o início deste ano. Oito delas morreram.

Caso gerou revolta e foi comentado nas redes sociais:

*Com informações de Estadão e UOL