Problemas cardíacos são 20 vezes maiores em não vacinados que tiveram Covid do que nos imunizados, diz SGP

Sociedade Goiana de Pediatria afirma que problemas cardíacos em consequência da vacinação são raros

Problemas cardíacos são 20 vezes maiores em não vacinados que tiveram Covid do que nos imunizados, diz SGP
Foto: Agência Brasil

A Sociedade Goiana de Pediatria (SGP) informou que problemas cardíacos, como a miocardite (inflamação nas células do músculo do coração), por causa da vacina contra a Covid-19 não são recorrentes. A SGP destaca que efeitos adversos são 20 vezes mais comuns em pacientes não vacinados que contraíram o novo coronavírus.

De acordo com a entidade, a vacinação supera os possíveis riscos associados ao imunizante. Além disso, concorda com a posição da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) de autorizar a imunização em crianças de cinco a 11 anos.

O departamento de Cardiologia Pediátrica da SGP lembra, também, que crianças portadoras de cardiopatias são mais suscetível à complicações por infecções respiratórias (bacterianas ou virais). Assim, reforça que a vacinação nestes casos é ainda mais necessária, especialmente considerando o retorno às aulas e o aumento de casos de Covid por causa da variante Ômicron.

Além disso, uma nota divulgada pela Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) e Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC) expõe que “a evolução dos casos de miocardite e pericardite pós-vacina tem sido benigna em praticamente todos os casos, havendo recuperação total em cerca de uma semana, sem relatos de complicações mais graves”.

Já em outra nota, a SBP afirma que “a população não deve temer a vacina, mas, sim, a doença que ela busca prevenir, bem como suas complicações, como a covid longa e a Síndrome Inflamatória Multissistêmica, manifestações que consolidam a necessidade da imunização do público infantil.”