Procon Goiás e ANP fiscalizam postos de Nerópolis após denúncia

A denúncia foi encaminhada através de um vídeo onde mostra que um posto de combustível poderia estar vendendo Diesel adulterado na região

O Procon Goiás e Agência Nacional do Petróleo (ANP) esteve em Nerópolis na manhã desta terça-feira (21) para fiscalizar uma denúncia em um posto de combustível que poderia estar vendendo Diesel adulterado na região.

A denúncia foi encaminhada através de um vídeo ao Mais Anápolis em que mostra o momento em que os funcionários do posto, esvaziam o tanque do caminhão.

O caminhoneiro que prefere não se identificar contesta a procedência do combustível, “Não dá nem pra dizer que é Diesel.”

Por meio de nota, o Posto Tabocão VII (Nerópolis-GO) justificou que a contaminação do Diesel S-500 é decorrente de obra que é realizada no Posto para interligação das bombas medidoras aos tanques e, de uma chuva forte que caiu no dia anterior, houve a infiltração de água no tanque de referido combustível.

Apesar da confusão, o Procon Goiás e a ANP verificaram as amostras do combustível e entenderam como um incidente devido ao posto estar em obras e reafirma a nota emitida pela unidade.

“Coletamos a amostra do Óleo Diesel 500 e por enquanto a única irregularidade encontrada foi quanto à questão do litro oferecido na bomba”, explicou o Gerente de Fiscalização, Antonisio Teixeira.

No entanto, outro problema durante a fiscalização foi encontrado, nesse caso uma das bombas de combustível estava oferecendo ao consumidor uma quantidade menor do que o valor comprado e devido a isso ela foi interditada.

Entenda a confusão

Ainda nas imagens, o homem diz que o caminhão dele nem conseguiu sair do posto e já apresentou problemas, e conta que outros caminhoneiros estão parados na estrada por problemas mecânicos causados pela adulteração.

“Quem abasteceu aqui, abra o tanque! É um lodo. Não é diesel nem água, é um lodo. Os caminhões estão todos parados com problemas”, continua o motorista.

O posto informou ainda que assim que foi identificado a adulteração a Gerência bloqueou e paralisou todas as operações de vendas por via das bombas ligadas ao referido tanque contaminado. Por fim, o posto disse que prestou toda assistência aos motoristas do local e pediu desculpas pelo transtorno.

Colaborou com essa reportagem Thayza  Marins do Mais Anápolis