Professor que separou briga em escola de Aparecida (GO) denuncia pai de aluno por racismo

Profssional separou briga entre dois alunos, mas foi xingado no dia seguinte pelo pai de um dos estudantes

Escola Municipal Jardim da Paz, no Jardim Florença (Foto: Reprodução - Google)

Um professor, de 59 anos, denunciou ter sofrido racismo por um pai de aluno depois de separar uma briga em uma escola de Aparecida de Goiânia. O caso aconteceu há uma semana, na Escola Municipal Jardim da Paz, no Jardim Florença.  A Secretaria Municipal de Educação, em nota, diz repudiar qualquer foram de preconceito e injúria racial.

O professor de educação física separou uma briga entre dois alunos no último dia 7 de junho. Uma das crianças teria segurado o pescoço de outra e ameaçado apertar. Após o desentendimento, ele chamou a atenção do garoto.

No dia seguinte, o professor foi chamado na direção da escola. No momento em que chegou no local, foi recebido por xingamentos racistas por parte de um pai. “Quando eu entrei na sala, ele olhou para mim e falou ‘A Princesa Isabel só libertou os escravos porque foi (…) por um negão”, diz o professor.

O pai do aluno ainda continuou os ataques racistas. “Fui para casa triste, arrasado. Quando cheguei em casa, chamei meus filhos e os orientei que, se algum dia isso acontecer com eles, acionem a polícia”.

O professor registrou o caso na Polícia Civil.

Resposta

Em nota, a Secretaria Municipal de Educação de Aparecida de Goiânia (SME) esclarece que repudia toda e qualquer forma de preconceito e injúria racial e que a Supervisão Escolar atua para solucionar o caso.

“A Supervisão Escolar da SME, que é o departamento responsável por acolher e tratar desse tipo de situação, informa que já tomou conhecimento do ocorrido na Escola Municipal Da Paz, Jardim Florença, ouviu os envolvidos na situação, o pai e o professor, e busca o entendimento entre as partes. Explica também que qualquer medida em âmbito judicial é de foro íntimo das pessoas envolvidas e serão de responsabilidade dos poderes constituídos” conclui a nota.