Projeto Gênesis: secretária nega “falta de clareza” em programa de expansão turística

Programa prevê a construção de, pelo menos, oito edificações em parques estaduais de Goiás

Parque Águas do Paraíso, em Goiás
Projeto Gênesis prevê construção de ao menos sete edificações no Parque Águas do Paraíso (Foto: Reprodução - WWF)

A titular da Secretaria do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável de Goiás (Semad), Andrea Vulcanis, falou nesta quinta (23) sobre a polêmica que envolve o Projeto Gênesis, acusado de “falta de clareza” no que diz respeito à sustentabilidade. Ao Mais Goiás, a secretária afirmou que as edificações previstas para serem erguidas em parques estaduais fazem parte de um projeto em curso e que ocorre de maneira “totalmente aberta”.

A fala de Vulcanis vem após o Conselho de Arquitetura e Urbanismo de Goiás (CAU-GO) encaminhar à Semad um ofício em que pede explicações sobre o Projeto Gênesis, cujas ações objetivam a expansão econômica e turística da região Nordeste de Goiás. Para a entidade, “falta clareza no que diz respeito à mencionada sustentabilidade ambiental do projeto, como também parece ter faltado a devida discussão com os moradores da região, considerando projeto de tamanha magnitude”.

No entanto, a secretária contrapõe o argumento e afirma que a divulgação dos esboços das edificações que o programa pretende erguer nos parques da região da Chapada dos Veadeiros – são, pelo menos, sete no Parque Águas do Paraíso e outro no Terra Ronca – provocaram desinformação a respeito da questão. Segundo Vulcanis, ainda não existe um projeto concretizado de alterações no meio ambiente e proposta estaria somente em fase de discussão.

Projeto Gênesis prevê a construção de ao menos 8 edificações (Foto: Reprodução)

“Não tem projeto ainda, não está detalhado […]. A ideia foi: vamos ter uma primeira proposta e vamos discutir. Não há falta de clareza, há um processo em curso”, disse a secretária ao destacar que o programa já conta com aprovação dos prefeitos das cidades que receberão investimentos, mas que a Semad pretende, ainda, realizar oficinas em cada um dos municípios – ação que integra o que ela chamou de “conjunto de consultas populares”.

Valorização turística e sustentabilidade no Projeto Gênesis

Nessa primeira etapa de investimentos do programa estão inclusos os municípios de São João D’Aliança, Alto Paraíso de Goiás, Colinas do Sul, Teresina de Goiás, Cavalcante, Flores de Goiás, Nova Roma, Guarani de Goiás e São Domingos. De acordo com a Semad, o objetivo é “transformar a localidade por meio da inovação e do conhecimento, consolidando uma das regiões goianas mais preservadas do Cerrado como um polo de oportunidades”.

Porém, uma das questões levantadas pelo CAU-GO foi a apontada insatisfação da população. Segundo a entidade, ela tem recebido pedidos de ajuda de pessoas preocupadas com a real sustentabilidade do projeto, “assim como com a carência relacionada a tantas outras demandas importantes dos municípios da região da Chapada dos Veadeiro”, como infraestrutura de saneamento básico.

Para a secretária Andrea Vulcanis, um dos objetivos do Projeto Gênesis seria justamente superar a “dicotomia de que a conservação da natureza implica em pobreza”. “A região toda é de uma beleza extraordinária, mas tem pessoas passando fome, tentando sobreviver. A proposta foi um projeto de turismo que não seja de massa, mas que seja qualificado e mais potente para a região”, disse.

“O projeto tem vários eixos, são 10, entre desenvolvimento do turismo, segurança hídrica, energias limpas. Todos os municípios vão receber oficinas para tratar desses termos”, concluiu.