Prorrogada cessão de servidores da Comurg para órgãos da Prefeitura

O custo mensal por servidor na Comurg é de R$ 422, enquanto a média nacional para companhias que prestam o mesmo serviço é de R$ 103 por servidor

Em Goiânia, taxa de limpeza pública pode ter custo de R$ 25 por mês ao contribuinte
Em Goiânia, taxa de limpeza pública pode ter custo de R$ 25 por mês ao contribuinte (Foto: Prefeitura de Goiânia)

Foi prorrogada a cessão de empregados públicos da Companhia de Urbanização de Goiânia (Comurg) para órgãos da prefeitura da capital. A extensão do vínculo dos servidores com secretarias e outras áreas da administração foi estendida até o dia 31 de dezembro deste ano.

A responsabilidade pelo pagamento será do órgão que recebeu o servidor da Comurg e deverá informar mensalmente, acerca do cumprimento das obrigações legais, bem como a frequência durante o período de cessão.

O custo mensal por servidor na Comurg é de R$ 422, enquanto a média nacional para companhias que prestam o mesmo serviço é de R$ 103 por servidor. A prorrogação da cessão do servidores foi publicada no Diário Oficial do Município.

O valor elevado se deve pelo fato de a Comurg prestar serviços em Goiânia que não são prestados em outras capitais. O órgão é responsável por uma série de serviços na capital, como varrição de rua, coleta de lixo, manutenção do aterro sanitário, limpeza de áreas públicas, manutenção de jardins e praças, entre outros. Geralmente as atividades de outras companhias se limitam a varrição, coleta e gestão do aterro sanitário.

De acordo com o presidente da empresa, Aristóteles de Paula, o Toti, o custo mensal da Comurg é de R$ 40 milhões. O valor foi reduzido em R$ 10 milhões de 2018 para 2019, a partir de medidas de economia.

A Comurg foi criada pela Lei Municipal nº 4.915, de 21 de outubro de 1974, mas só começou a funcionar efetivamente no início de 1979. A companhia é uma empresa de economia mista, com capital majoritário da própria prefeitura, com a finalidade legal de executar os serviços de limpeza urbana em forma de concessão.

A empresa tem cerca de 8 mil servidores. Nos meses de maio e outubro de 2018, a prefeitura tentou o retorno de todos os servidores que estavam à disposição de outros órgãos da Prefeitura; naquela época, eram cerca de 1,5 mil. A reportagem procurou a assessoria de imprensa da Comurg solicitando os dados atualizados e aguarda retorno.