PSB diz que Eliton pode ser candidato ao que quiser, mas mantém diálogo com Mendanha

"Para o PSB, a filiação de José Eliton terá uma grande importância pelo simbolismo. Refletir a união dos democratas", diz Elias Vaz

PSB diz que Eliton pode ser candidato ao que quiser, mas mantém diálogo com Mendanha
PSB diz que Eliton pode ser candidato ao que quiser, mas mantém diálogo com Mendanha (Foto: Assessoria)

Presidente do PSB em Goiás, o deputado federal Elias Vaz disse que o ex-governador José Eliton – que se desfiliou do PSDB para entrar no PSB a convite de Geraldo Alckmin – pode ser candidato ao que ele quiser. Apesar disso, reforça que o partido continuará conversas com o prefeito de Aparecida, Gustavo Mendanha (sem partido), além de outras siglas, como o PT.

“Para o PSB, a filiação de José Eliton terá uma grande importância pelo simbolismo. Refletir a união dos democratas, das pessoas que acreditam na democracia, a união daqueles com disposição para combater o desgoverno de Bolsonaro (PL) no País. Uma reeleição dele seria a consolidação do flerte que ele tem com o fascismo, além do desastre econômico…”

Ainda segundo ele, a filiação do ex-governador não impedirá uma discussão ampla para buscar um “caminho para a criação de um polo progressista”. “José Eliton pode ser candidato a qualquer coisa. Mas vamos ver o melhor o caminho. É importante que ele tenha disposição de colocar o nome dele para isso”, declara.

Novamente sobre Mendanha, é preciso citar que o prefeito de Aparecida tentava se filiar ao PL e disputar o governo do Estado com o apoio de Bolsonaro. O presidente, contudo, escolheu o deputado federal Vitor Hugo (PL) para isso. Ainda assim, Mendanha disse que faria palanque para Bolsonaro.

Eliton deixa PSDB para se filiar ao PSB

O ex-governador José Eliton confirmou ao Mais Goiás, nesta quarta (30), que já comunicou ao PSDB sua desfiliação. O agora ex-tucano irá para o PSB, conforme já antecipado.

Vale lembrar, o ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, convidou Eliton nos últimos dias para se filiar ao PSB com a possibilidade de disputar o governo de Goiás. O ex-gestor do Estado, contudo, afirma que o projeto é ajudar a construir uma frente ampla, conversando com todos os partidos de oposição a Caiado (União Brasil) e Bolsonaro.

“Isso que me estimula. Minha meta é garantir o maior número de partidos em uma aliança desde o primeiro turno”, exclama. Segundo ele, uma possível candidatura ao governo é conversa para depois. “Inclusive, quero lutar para trazer o PSDB para essa aliança no primeiro turno.”