PT de Aparecida não lançará candidatos a deputado, diz presidente de diretório

A tendência do partido na cidade é seguir com nomes de alcance estadual e aguardar definição sobre a candidatura ao governo

Pré-candidato do PT, Wolmir Amado se encontra com José Eliton na quinta
Pré-candidato do PT, Wolmir Amado (Foto: Divulgação)

Embora seja o segundo maior colégio eleitoral de Goiás, o PT não tem projeto específico para Aparecida de Goiânia. A tendência do partido na cidade é seguir com nomes de alcance estadual e aguardar definição sobre a candidatura ao governo.

Segundo Adriano Montovani (PT), secretário de Relações Institucionais na gestão Gustavo Mendanha (Patriota), não há nenhuma candidatura tanto para deputado estadual, quanto para federal, do partido na cidade. Ele avalia que a sigla cresce a partir da disputa da eleição majoritária.

“Vencendo ou perdendo o partido cresce”, diz.

Neste sentido, aponta para nomes que se lançarão a deputado federal e estadual consolidados que são os puxadores de votos. E cita o exemplo dos “anapolinos” Rubens Otoni e Antônio Gomide, com base em Anápolis; e de Adriana Accorsi, Luís César Bueno e Mauro Rubens, todos com base em Goiânia.

Nenhum aparecidense, portanto. Essa falta de candidatos aparecidenses próprios não é exclusivo do PT. É um sintoma. O cientista político Guilherme Carvalho aponta que Aparecida não elege candidatos próprios porque funcionou como um bom tempo como uma cidade dormitório, onde as pessoas trabalhavam em Goiânia e voltam para Aparecida para dormir. A realidade econômica, entretanto, não é mais essa. Mas ainda assim, não se criou uma cultura de se fazer política de forma municipal.

Regional

No âmbito da Do mesmo modo, o petista avalia que é preciso aguardar posicionamento da direção nacional e estadual para seguir o que o partido decidir para governador. O PT ainda define se irá lançar candidatura própria, de Wolmir Amado (PT), ou irá apoiar outro nome.

É bom lembrar que o PT adiou mais uma vez o seu encontro estadual, com a perspectiva de firmar acordo mais robusto em âmbito regional.

O cálculo de Adriano Montovani é que com uma chapa forte poderá fortalecer o partido para que em 2024 possa eleger vereadores na cidade.