Quesitos nos quais Goiânia é a cidade número 1

Com poucas décadas de existência a capital de Goiás se destaca em diversos quesitos – positivos e negativos –, seja em âmbito regional ou mundial

Nesta segunda-feira (24), Goiânia celebra seus 83 anos de existência com diversos motivos para comemorar. Ainda que em um cenário nacional político e econômico desfavorável, a capital de Goiás mantém-se como uma das que possuem melhor qualidade de vida, mais áreas verdes por habitante e apresentando firme crescimento econômico.

Claro, ainda há inúmeros desafios para enfrentar, mas Goiânia se destaca em diversos aspectos frente a outros municípios do Brasil ou mesmo do mundo. Você sabia, por exemplo, que a capital de Goiás possui alguns dos maiores centros comerciais e detém o maior poder de compra do País?

Como parte das celebrações pelo aniversário de Goiânia, o Mais Goiás detalhou alguns quesitos nos quais a cidade desponta em nível regional ou global, como, por exemplo, os itens citados acima. Nem todos são positivos, mas ajudam a demonstrar como a cidade se desenvolveu e a importância que adquiriu em suas poucas décadas de vida.

Confira:

1 – Maior área verde por habitante

Essa já foi bastante difundida e é de conhecimento de boa parte dos habitantes, mas vale reforçar: Goiânia tem a segunda maior área verde por habitante do mundo e a maior do País. São aproximadamente 1 milhão de árvores de quase 400 espécies diferentes.

Segundo levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) de 2010, Goiânia está à frente de Campinas, Belo Horizonte, Porto Alegre e Curitiba. Em todo o planeta perde apenas para Edmonton, no Canadá.

Este quesito, associado a outros, ajudou Goiânia a se tornar uma das cidades com melhor qualidade de vida no Brasil.

2 – Maior poder de compra do País

Segundo uma pesquisa da Adzuna – ferramenta de pesquisa de empregos –, divulgada em abril deste ano, Goiânia é a cidade com maior poder de compra do Brasil. Conforme o levantamento, oportunidades de emprego na capital oferecem salário de em média R$ 1.912, a um custo de vida de 86% desse valor (cerca de R$ 1.644). A cidade desbancou grandes metrópoles do País, como Curitiba, São Paulo e Rio de Janeiro.

 

3 – Maior quantidade de acácias da Améria Latina

acaci

A Wikipédia aponta que Goiânia é a cidade fora da Europa com a maior quantidade de acácias no mundo. Para quem não está conseguindo associar o nome à planta, trata-se daquela árvore repleta de pequenas flores de tom amarelo vivo, que atende pelo nome científico de Acacia farnesiana. Seu florescimento costuma ocorrer entre os meses de junho e agosto.

4 – Maior feira ao livre da América Latina

As mais de 6 mil barracas montadas todos os domingos na Praça do Trabalhador, no Setor Central, em Goiânia, fazem da Feira Hippie a maior feira ao ar livre da América Latina.

Criada em 1960, com o passar dos anos a feira perdeu seu apelo original, que residia na venda de trabalhos artesanais por parte dos hippies que se reuniam ali. Hoje, a força do espaço está, principalmente, no comércio de alimentos e de confecção, mas a variedade é grande, incluindo eletrônicos, perfumes e brinquedos.

Atualmente, cerca de 5,6 mil feirantes trabalham no local.

5 – Maior shopping horizontal do País

O título de maior shopping horizontal do País pertence à Avenida Bernardo Sayão, considerada um dos maiores polos atacadistas do Brasil. A avenida começou a ganhar vida na década de 70 e se firmou como importante centro econômico na década de 90. Em seus cerca de 3 quilômetros de extensão estão presentes mais de 2.200 lojas, que empregam aproximadamente 45 mil pessoas.

6 – Carros por habitantes

Segundo dados da Associação Comercial e Industrial do Estado de Goiás (Acieg), Goiânia contava, em dezembro de 2015, com a concentração de 1,23 veículo por habitante. A taxa coloca a cidade em primeiro lugar no Brasil nesse quesito. A perspectiva é que em breve a capital chegue à proporção 1:1 e, por isso, é melhor que a população se prepare para o potencial crescimento de problemas de poluição e congestionamentos.

7 – Acervo art déco mais significativo

art

Grande parte das edificações mais simbólicas de Goiânia foram construídas nas décadas de 40 e 50, ainda no embalo do art decó, que encontrara seu apogeu nos anos 1920 e 1930. O estilo buscava utilizar materiais novos para a época na aplicação de formas retilíneas, arodinâmicas e figuras geométricas na arquitetura, nas artes aplicadas, no design de interior e no desenho industrial, entre outros.

Em 2003, o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) tombou o acervo arquitetônico de Goiânia, firmando-a como a capital do art déco. Entre os prédios incluídos estão o Palácio das Esmeraldas, o Coreto da Praça Cívica, o Grande Hotel, o Teatro Goiânia e o Lyceu de Goiânia.

8 – Cidade mais desigual da América Latina

Apesar de se destacar por seu desenvolvimento, Goiânia também chama atenção por um aspecto negativo: é a cidade mais desigual da América Latina, de acordo com estudo da Organização das Nações Unidas (ONU) de 2012. A entidade usou como parâmetro o Índice Gini, que calcula a desigualdade na distribuição de renda por meio de indicadores de renda per capita, nível educacional, acesso a serviços essenciais e expectativa de vida. Num índice de 0 a 1, onde 1 representa completa desigualdade entre os cidadãos, Goiânia aparece com 0,65.

9 – Maior estrutura de palco do mundo

O recorde de maior estrutura de palco do mundo é de um evento tradicional de Goiânia. Com 127 metros de comprimento e 50,5 metros de altura, o local de apresentações do Festival Villa Mix é mais alto que um prédio de 16 andares. A área total do palco chega a 2.724 m2. Os dados estão devidamente registrados no Guinness Book, o livro dos recordes.

10 – Maior centro comercial e de lazer do Centro-Oeste

Um dos shoppings mais novos de Goiânia, o Passeio das Águas, detém o título de maior centro de comércio, gastronomia e lazer do Centro-Oeste. O empreendimento foi aberto em outubro de 2013 e conta com 267 lojas, um supermercado, 36 restaurantes, três áreas de lazer e entretenimento e sete salas de cinema distribuídos em seus 180 mil m2 de área construída. São quase 6.300 empregos diretos gerados pelo shopping.