Rua do Lazer, no Centro de Goiânia, será revitalizada

Obras terão custos de R$ 270 mil e devem durar cerca de três meses. Mudanças fazem parte do projeto ReViva Goiânia

A Rua 8, mais conhecida como Rua do Lazer, no Centro de Goiânia, será revitalizada de acordo com a Secretaria Municipal de Planejamento Urbano e Habitação (Seplanh). As obras fazem parte do projeto piloto do ReViva Goiânia, que busca resgatar os valores históricos da cidade e trazer novos espaços de urbanização para a população.

A revitalização consta, de acordo com Henrique Alves, secretário da pasta, na adequação de calçadas, principalmente no quesito de acessibilidade, após decreto municipal assinado em 2015. Assim como a restauração do piso original, manutenção das luminárias e despoluição das fachadas de lojas de prédios em Art Déco. A previsão para o início das obras é para o próximo mês e o prazo para conclusão são de três meses.

Além disso, são previstas revitalizações nas duas quadras que englobam a rua, ou seja, entre as ruas 3 e 9. Dois becos que integram o espaço também deverão passar por mudanças. Nos locais, serão instalados aparatos culturais e equipamentos esportivos.

O secretário conta que as obras terão custo de R$ 270 mil oriundos do Projeto Diferenciado de Urbanização (PDU) da Prefeitura de Goiânia. O Projeto consiste na reversão de parte do imposto de imóveis para o custeio da revitalização de locais públicos. “Sempre quando o empreendimento chega à Goiânia, tem a doação de 15% de seu valor venal ou reversão desse valor em obras e serviço. É o que irá acontecer com a Rua do Lazer”, conta.

ReViva Goiânia

Henrique aponta as obras na Rua do Lazer é o início do projeto ReViva Goiânia, elaborado entre a pasta e a Secretaria Meio Ambiente, Recursos Hídricos, Infraestrutura, Cidades e Assuntos Metropolitanos (Secima), que irá resgatar a identidade dos goianienses. Com isso, o secretário acredita que a revitalização atrairá um maior número de pessoas ao Centro de Goiânia e, consequentemente, aos comércios da região. As obras também são vistas como formas de elaboração de novos espaços de lazer pela cidade.

O projeto, que ainda tramita na Câmara Municipal, visa a despoluição visual das ruas do Centro e Campinas, assim como oferta de benefícios para empreendimentos que contribuírem para um reocupação da área central da capital. Essas reocupações consistem em construção de edifícios-garagens, novos prédios residenciais e revitalização ou adequação de construções abandonadas. “Um dos incentivos que a lei traz é a isenção de dois anos do IPTU para esses empreendimentos”, destaca.

O secretário aponta que outros pontos também estão sendo estudados para passarem por revitalização como a Praça do Cruzeiro e becos culturais do Setor Sul e a Praça Joaquim Lúcio, em Campinas.