Saiba a rotina de uma recenseadora do Censo Demográfico de 2022

Aluna de Direito, Aynoa Jamira cobre área com 200 a 400 domicílios

Saiba a rotina de um recenseador do Censo Demográfico de 2022
Saiba a rotina de uma recenseadora do Censo Demográfico de 2022 (Foto: Jucimar de Sousa)

A estudante Aynoa Jamira Machado Rezende é recenseadora do Censo Demográfico que teve início na segunda-feira (1º). Aluna de Direito, ela deve atuar somente Goiânia no levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) de 2022. Ao Mais Goiás, ela contou um pouco da rotina do trabalho.

“Primeiro abrimos o dispositivo móvel de coleta (DMC) e entramos em nosso setor censitário (área com 200 a 400 domicílios). Então, escolhemos a face de quarteirão que vamos trabalhar e confirmamos o logradouro. Após isso, chamamos o morador e começamos a entrevista”, descreve a recenseadora que teve como rota, na segunda, o Novo Horizonte (avenida Cezar Lates, Rua 5D e Alameda Sana Rita).

Antes disso, contudo, ela revela que fez uma semana de curso para se preparar para o trabalho em campo. “Mas meu contrato foi assinado no dia 28 de julho. Comecei a entrevista com moradores na segunda.” Ela conseguiu o trabalho por meio processo seletivo simplificado da Federação Getúlio Vargas (FGV).

Questionada sobre o número de entrevistas ao dia, ela diz que a média deverá ser de 20 a 25 responsáveis pelo lar ou alguém com mais de 12 anos que more na residência. Inclusive, Aynoa ressalta que a maioria das pessoas é bem receptiva.

Ela também aponta que os problemas devem ser poucos durante o período do Censo. “Por parte do IBGE nenhum, porque ele nos dá total suporte”, destaca e completa: “O único problema é quando o morador não quer responder ou tem muita resistência ao responder o questionário.” Estes não são a maioria.

Aynoa diz, ainda, que as informações feitas pelo IBGE são fundamentais para o conhecimento a real da situação do País. “É através destas pesquisas que são retratadas as características da sociedade brasileira e sua população, economia, condições de vida e necessidades, oferecendo um estudo mais aprofundado da evolução ao longo do tempo”, argumenta. “As informações produzidas são utilizadas pelo setor público, setor privado, comunidade científica e estudantes, setor civil e para qualquer indivíduo que queira saber sobre seu País.”

Ela finaliza: “Provavelmente ficarei só em Goiânia, mas se o IBGE precisar que eu vá até outra cidade, ele pode me remanejar. Não sei bem ao certo quanto tempo vou ficar, porque o IBGE renova o contrato a cada mês, de acordo com sua necessidade.”

Censo Demográfico 2022

O Censo Demográfico, realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), teve início nesta segunda-feira (1º). A data original era 1º de junho, mas um adiamento foi necessário pela troca da banca responsável pelo concurso que rendeu a contratação dos profissionais.

Na verdade, ele era para ocorrer em 2020, em intervalo de dez anos, mas a pandemia da Covid-19 atrasou o levantamento – o anterior ocorreu em 2010. A previsão orçamentária do censo é de mais de R$ 2,29 bi, conforme nota do IBGE.

“Com o orçamento do Censo Demográfico 2022 aprovado e sancionado na íntegra em R$ 2.292.957.087,00, o IBGE informa que a coleta da pesquisa terá início no dia 1º de agosto. Antes prevista para 1º de junho, a data da coleta precisou ser ajustada em decorrência da troca, em novembro de 2021, da banca responsável pela organização do Processo Seletivo Simplificado (PSS) para contratação de 183.021 recenseadores e 23.870 agentes censitários.”

Ele é responsável por coletar dados da população do Brasil. O intuito é traçar um perfil do País que vai além da contagem, inclusive, para determinar políticas públicas. Entre as informações estão: condições de vida, emprego, renda, acesso a saneamento, saúde, escolaridade e mais.

LEIA MAIS:

Em dia inaugural do Censo, manicure de Goiânia participa de sua primeira pesquisa