‘Se não tiver base científica, ele vai pagar’, diz Lira sobre fala de Bolsonaro que associa Aids a vacina

Jair Bolsonaro associou o desenvolvimento da Aids a vacina contra a Covid-19 em sua live semanal

'Se não tiver base científica, ele vai pagar', diz Lira sobre fala de Bolsonaro que associa Aids a vacina
'Se não tiver base científica, ele vai pagar', diz Lira sobre fala de Bolsonaro que associa Aids a vacina - (Foto: Reprodução/ Twitter)

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), reagiu nesta segunda-feira (25), a fala do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) que associou o desenvolvimento da Aids a vacina contra a Covid-19. Segundo o parlamentar, o chefe do Executivo deve pagar por divulgar informações falsas.

Afirmação veio ao comentar a decisão tomada pelo Facebook de retirar do ar uma live de Bolsonaro. No vídeo em questão, Bolsonaro relacionava os imunizantes contra Covid-19 e o risco de disseminação de Aids em pessoas vacinadas.

A Aids pode ser transmitida por meio de relações sexuais ou por recebimento de hemoderivados contaminados com o HIV. Os cientistas não descobriram nenhuma relação com a vacina contra Covid.

‘Ele vai pagar sobre isso’, afirmou Lira

Durante participação em um seminário sobre o agronegócio em São Paulo, Lira afirmou que “se ele [Bolsonaro] não tiver nenhuma base científica, ele vai pagar sobre isso”.

Na última quinta-feira (21), Bolsonaro mentiu ao afirmar que relatórios do governo do Reino Unido mostram que pessoas imunizadas desenvolveram Aids (Síndrome da Imunodeficiência Adquirida).

Outra coisa grave aqui, só vou dar a notícia, não vou comentar. Já falei sobre isso no passado e apanhei muito. Relatórios oficiais do governo do Reino Unido sugerem que os totalmente vacinados estão desenvolvendo a Síndrome de Imunodeficiência Adquirida muito mais rápido que o previsto”, disse.

Fala de Bolsonaro causou repúdio nas redes sociais

O Comitê de HIV/aids da Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI) afirmou, por nota, que há relação conhecida entre qualquer vacina contra a Covid-19 e o HIV, e repudiou “toda e qualquer notícia falsa que circule e faça menção a esta associação inexistente”.

A declaração de Bolsonaro causou repúdio nas redes sociais. Além de profissionais da área desmentirem o boato, usuários também condenam a atitude do presidente da República por compartilhar desinformação em meio à pandemia de Covid-19.