Iris Rezende questiona obra do BRT na Avenida Goiás; “será que não é uma extravagância?”

O assunto foi abordado durante discussão da reforma da Praça do Trabalhador durante o Fórum de Oportunidades e Desenvolvimento da Região da 44

O projeto original da obra do Bus Rapid Transport (BRT) no eixo Norte-Sul de Goiânia será debatido com especialistas e instituições envolvidas. Foi o que afirmou o prefeito de Goiânia, Iris Rezende (PMDB), durante o Fórum de Oportunidades e Desenvolvimento da Região da 44. O encontro reuniu empresários e entidades representativas da cadeia produtiva da indústria de confecções da Região Metropolitana de Goiânia.

O assunto BRT surgiu quando Iris falava sobre reforma na Praça do Trabalhador. “Se o projeto do BRT continuar o mesmo, a reforma na praça é uma. Se mudar, teremos outras intervenções”, afirmou o prefeito.

Ao citar o assunto, Iris não escondeu o descontentamento em relação à obra passar pela Avenida Goiás. “Será que não é uma extravagância? Uma violência? Esta avenida é a coluna vertebral da cidade. Vamos derrubar o Bandeirante? Violentar o relógio? A Praça Cívica? Todos os que estão envolvidos vão assumir essa responsabilidade comigo. Se quiserem que seja assim, então vai ser”, disse Iris.

Na oportunidade, Iris voltou a dizer que assumiu a Prefeitura de Goiânia em situação caótica. “Estou ausente porque estou procurando todas as pessoas com as quais a prefeitura tem dívidas. É preciso agir logo. Se não começar a mandar agora, o mandato acaba e nada é feito”, afirmou.

Em relação ao BRT, Iris disse que a dívida da prefeitura é de R$ 8 milhões, mas já foi renegociada. O valor será pago em oito parcelas de R$ 1 milhão. O prefeito ainda garantiu que o impasse será resolvido o mais rápido possível.