Sérgio Reis ameaça STF e convoca caminhoneiros para ato pró-Bolsonaro

Sertanejo disse que "a cobra vai fumar" se o STF não atender as reivindicações do ato a favor do presidente

Sérgio Reis diz que não é bandido e dispara: 'Estão querendo acabar comigo'
Sérgio Reis diz que não é bandido e dispara: 'Estão querendo acabar comigo' (Foto: Reprodução Instagram)

O cantor e ex-deputado federal Sérgio Reis está convocando uma paralisação dos caminhoneiros e agricultores para os dias que antecedem o feriado da Independência, em 7 de setembro. Em um vídeo que circula nas redes sociais, o sertanejo disse que “a cobra vai fumar” se o Supremo Tribunal Federal (STF) não atender as reivindicações da manifestação a favor do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) como o impeachment de ministros da Corte e o voto impresso.

“Estamos fazendo um movimento para salvar o país. Dia 7 não vamos fazer nada para não atrapalhar o desfile do nosso presidente, que é muito importante”, disse Sérgio Reis, que ainda afirmou que a intenção é pedir uma ação dos militares junto ao presidente da República.

“Nós fizemos uma reunião em São Paulo com líderes do Brasil, caminhoneiros e agricultores. Estamos fazendo um movimento clássico, sem agressões, sem nada. Queremos dar um jeito de movimentar esse país. Sem tumulto, vamos ficar lá, vamos acampar, vai ter um galpão de refeições”, continuou o sertanejo.

Reis disse que ele está preparando uma ação judicial para a manifestação. “Para fazer uma coisa séria, para que o governo tome uma posição, o Exército tome uma posição, mas se o povo não tomar essa posição, nada vai”, declarou. “Vocês que estão afim de salvar o Brasil, vamos com a gente para Brasília”, convidou.

Sem citar nomes, Sérgio Reis afirmou que o movimento contará com a presença de artistas e empresários brasileiros. “Vocês vão se assustar com o movimento, mas a gente é da paz. Não aceito mais a situação que está o nosso país”.

Vale lembrar que, em abril, o cantor se posicionou contra as medidas de restrição durante a pandemia da Covid-19. Na ocasião, ameaçou agredir o governador de São Paulo, João Dória, e o prefeito da capital, Bruno Covas (1980-2021). Sérgio Reis já foi vacinado com as duas doses da vacina contra Covid.

Isabelle Drummond é acusada de construir igreja em casa alugada; LEIA