Sexto lugar em Goiânia empolga partido de esquerda Unidade Popular

Além do candidato à prefeitura de Goiânia, partido tem três nomes na disputa por uma cadeira na Câmara municipal

Presidente da UP diz que Fábio Júnior vai manter nome em evidência
Presidente da UP diz que Fábio Júnior vai manter nome em evidência

A primeira pesquisa eleitoral de Goiânia trouxe algumas surpresas. Nomes como de Maguito Vilela (MDB), Vanderlan Cardoso (PSD), Adriana Accorsi (PT) e Elias Vaz (PSB) já eram esperados. Contudo, em um pleito pulverizado com 16 candidaturas, um partido novo e sem tempo de TV se destacou: Fábio Júnior, do Unidade Popular (UP), figurou em sexto lugar, com 2% das intenções de voto, empatado com Virmondes Cruvinel (Cidadania). Douglas Gaspar, presidente da UP, diz que Fábio vai conseguir manter nome expressivo nas pesquisas.

Oficializado para lançar candidaturas em dezembro de 2019, o UP participa de seu primeiro pleito esse ano. O presidente municipal da sigla explica que, em Goiás, só Goiânia tem candidatos: além de Fábio Júnior, tem os postulantes à Câmara municipal Antônio Altenir, Letícia Scalabrini e Rebeca Calgaro. “Como é nossa primeira eleição, optamos por lançar nomes que temos extrema confiança e que representam o partido.”

Sabemos que é difícil um resultado da expressivo por conta das limitações financeiras, mas recebemos o resultado pesquisa Serpes com bastante felicidade”, declara. A expectativa de Douglas é dar visibilidade a sigla. “Esse resultado [da pesquisa], inclusive, é consequência de um trabalho de massa que o partido vem realizando, desde a coleta de assinaturas para a fundação, que se iniciou em 2016.”

Fábio Júnior

Para Douglas, Fábio Júnior vai mostrar a que veio o partido. “É nosso principal nome na cidade. Bastante conhecido no meio universitário e em ocupações.” Desta forma, o presidente municipal acredita que o candidato à prefeitura de Goiânia conseguirá manter o nome expressivo nas pesquisas.

Empatado com Virmondes, Fábio Júnior superou, na Serpes, os candidatos Gustavo Gayer (DC), 1,3%; Antônio Neto (PCB), 1,0%; Samuel Almeida (Pros), 0,7%; Cristiano Cunha (PV), 0,3%; Talles Barreto (PSDB), 0,3%; e Manu Jacob (PSol), 0,2%. A Dra. Cristina não figura na lista, pois, à época, ela havia retirado à candidatura, pois o PL havia declarado apoio a Maguito Vilela. Antônio Vieira Neto (PCB) também não figura na lista. “Superamos muitos nomes consolidados”, comemorou Douglas.