Sindicato diz que Polícia Civil não é tratada como outras forças de segurança de Goiás

Policiais Civis fazem assembleia para mobilização nesta quinta-feira; paralisação está descartada no momento

Sinpol cobra tratamento igual entre policiais civis e demais forças de segurança de Goiás
Sinpol cobra tratamento igual entre policiais civis e demais forças de segurança de Goiás (Foto: Polícia Civil)

O Sindicato dos Policiais Civis do Estado de Goiás (Sinpol) realiza, nesta quinta-feira (30), uma assembleia para definir estratégias para cobrar o tratamento igualitário dos policiais civis (PCs) em relação às demais forças de segurança do Estado. O encontro ocorre às 14h, no Clube dos Policiais Civis, em Goiânia.

Presidente do Sinpol, Renato Rick afirma que as demais categorias de segurança do Estado (bombeiros, polícia militar, polícia técnico-científica), bem como outros servidores públicos estaduais, têm sido contempladas com projetos de reestruturação da carreira. “Nós PCs, há algum tempo, fazemos tratativas para discutir projetos que alcancem todos os policiais, mas sem avanços por parte da direção e do governo.”

Ao Mais Goiás, Rick afirmou que também existem prejuízos em relação a promoção para o topo de carreira. Estas ocorrem para cerca de 20 policiais por ano, enquanto a fila de espera tem 900 profissionais. “Todas as forças foram contempladas nas demandas de reestruturação e promoção, mas a PC foi ignorada”, afirma.

Questionado sobre a possibilidade de paralisação, ele diz que neste momento não. No momento, somente a mobilização para mostrar a insatisfação e cobrar projetos na Assembleia Legislativa de Goiás (Alego). Na quinta, as questões serão detalhadas à categoria.