“Só vi isso quando pegaram João de Deus”, diz moradora da Abadiânia sobre caça a Wanderson

Wanderson matou três pessoas em Corumbá no domingo, entre elas a esposa grávida

Maria Abadia Gomes dos Santos, 32 anos, que mora em Abadiânia (Foto: Jucimar de Sousa - Mais Goiás)
Maria Abadia Gomes dos Santos, 32 anos, que mora em Abadiânia (Foto: Jucimar de Sousa - Mais Goiás)

A movimentação ostensiva de policiais militares e viaturas que procuram Wanderson Mota Protácio tirou o sossego dos moradores de Abadiânia nessa segunda (29). Maria Abadia Gomes dos Santos, 32 anos, disse ao Mais Goiás que só viu tumulto parecido quando prenderam o ex-médium João de Deus, que atendia em um imóvel no município.

“A gente fica com medo. Nunca vi uma movimentação como essa, só quando prenderam o João de Deus e mais nada”. Wanderson é o criminoso que matou a esposa grávida, Ranielle Aranha (21 anos), a enteada (de um ano e oito meses) e o fazendeiro Roberto Clemente Matos, que morava na vizinhança. O bandido atirou também no ombro da esposa de Roberto, mas ela sobreviveu e se recupera bem no Hospital de Urgências de Anápolis.

População de Ababiânia traumatizada com Lázaro

Maria Abadia teme que a angústia causada pela busca por Wanderson se prolongue por semanas, assim como aconteceu com o serial killer fugitivo Lázaro Barbosa. “Aqui tem bastante movimentação de polícia, helicóptero para todo lado. A gente espera que pegue logo por conta do caso do Lázaro que teve recentemente. O medo é grande”.

No final da manhã de hoje, Wanderson abandonou o veículo na GO-225, e entrou em uma mata, onde é procurado por mais de 50 policiais. Há informações que o foragido tentou matar outro fazendeiro pela manhã, mas a vítima entrou em luta corporal com ele e conseguiu escapar.