Suspeito de agredir e tentar atropelar ex-namorada por divisão de bens é preso em Aparecida

Vítima teve lesões aparentes na boca, mãos, pescoço e pernas; suspeito nega

A Polícia Civil prendeu um homem de 34 anos suspeito de agredir e tentar atropelar a ex-namorada, nesta terça-feira (14), em Aparecida de Goiânia. Crime aconteceu na casa do homem, quando a vítima foi buscar seus pertences, já que estavam separados. A discussão ocorreu por motivo banal, em razão de divergências sobre objetos de um e de outro.
Suspeito de agredir e tentar atropelar ex-namorada por divisão de bens é preso em Aparecida (Foto: Reprodução - PC)

A Polícia Civil prendeu um homem de 34 anos suspeito de agredir e tentar atropelar a ex-namorada, nesta terça-feira (14), em Aparecida de Goiânia. Crime aconteceu na casa do homem, quando a vítima foi buscar seus pertences, já que estavam separados. A discussão ocorreu por motivo banal, em razão de divergências sobre objetos de um e de outro.

De acordo com as investigações, a mulher tem apenas 22 anos e compareceu por volta do 12h na Delegacia da Mulher acompanhada dos pais. Bastante machucada, com lesões aparentes na boca, mãos, pescoço, pernas, afirmando ter sido agredida pelo ex-companheiro.

Segundo a vítima, ela havia ido até a casa do homem para buscar alguns de seus pertences, já que eles se separaram. No entanto, os dois passaram a discutir sobre a quem pertenceria alguns objetos. Com isso, o homem se alterou e começou a agredir a jovem com pontapés e murros. Em um ato de maior violência, a mulher narra, inclusive, que o ex-companheiro tentou passar de moto por cima dela.

Diante da narrativa da vítima, uma equipe de agentes civis começou a procurar pelo suspeito. Ele foi detido em seu local de trabalho, em um Lava-jato, no Setor Vila Maria, em Aparecida de Goiânia. Em seguida, foi levado para a delegacia, onde foi autuado por lesão corporal e tortura em contexto de violência doméstica.

Delitos estão previstos artigo 129, parágrafo 13, c/c artigo 5°, inciso III, e artigo 7°, inciso I da Lei n° 11.340/06.

Ainda de acordo com a corporação, a vítima requereu a medidas protetivas de urgência, a fim de reforçar a própria segurança e impedir que o suspeito se aproxime dela novamente.

Histórico violento

De acordo com a delegada Cybelle Tristão, o casal teve um relacionamento de 3 anos. O suspeito foi o primeiro namorado da vítima. Inclusive, o homem possui um histórico violento, pois em março deste ano, a jovem já havia ido até a Delegacia da Mulher e registrado um boletim de ocorrência contra o agora ex-companheiro, em Goiânia.

Na ocasião, ela não solicitou medidas protetivas, mas relatou ter sido ameaçada e injuriada pelo homem.

‘Armação’

Segundo a delegada, o suspeito não confessou o crime. Ele alega que a vítima ‘armou’ a situação pois eles se separaram e, ainda, que a mulher teria se machucado sozinha, batendo a própria cabeça na parede.

“Quando mostramos fotos da vítima com as unhas todas quebradas, machucadas, ele afirmou que a mulher tem unha postiça, as quais teria quebrado de propósito. Ele apresenta essa versão”, detalha a investigadora.

Violência contra a mulher em Goiás

Vale lembrar que casos como esse são frequentemente registrados em Goiás. De janeiro à março de 2022, o estado já teve 16 casos de feminicídio, 67 estupros, 3.841 ameaças, além de 2.624 casos de mulheres agredidas e 2.684 que foram caluniadas, difamadas e injuriadas.

Ajude a denunciar esses crimes. O Ligue 180 escuta e acolhe mulheres em situação de violência. O serviço registra e encaminha denúncias aos órgãos competentes, bem como reclamações, sugestões ou elogios sobre o funcionamento dos serviços de atendimento.