Suspeitos de homicídio durante churrasco em Anápolis são presos após 17 meses

Walisson Alexandre Amaral foi morto com oito tiros enquanto bebia com amigos. Crime foi cometido em 2019; vídeo flagrou fuga

Vítima foi surpreendida com oito disparos de arma de fogo, durante churrasco em Anápolis. Homem havia saído da cadeia em fevereiro (Foto: divulgação/PC)
Vítima foi surpreendida com oito disparos de arma de fogo, durante churrasco em Anápolis. Homem havia saído da cadeia em fevereiro (Foto: divulgação/PC)

O Grupo de Investigações de Homicídios (GIH) de Anápolis cumpriu mandados de prisão temporária contra dois homens, de 27 e 30 anos, na manhã desta segunda-feira (15). Eles são suspeitos de matar Walisson Alexandre Amaral (foto), de 30 anos, durante um churrasco em julho de 2019, na cidade.

Segundo o delegado Wlisses Valentim, um dos suspeitos foi preso no município e outro em Aparecida de Goiânia. Os detidos trocam acusações e não apresentaram uma justificativa para o crime. Porém, Valentim acredita que a motivação do assassinato seja um acerto de contas. A vítima, à época, era recém egresso da cadeia.

O delegado ainda pontua que as prisões são temporárias pois ainda há diligências a serem cumpridas. No final, prisões deverão ser convertidas em preventivas. O delegado conta que três suspeitos foram identificados, mas que um deles está foragido.

O crime

Segundo a Polícia Civil (PC), o assassinado ocorreu na tarde do último dia 28 de julho de 2019 numa casa localizada na Rua Princesa Isabel, no Jardim Palmares. No dia do crime, a residência sediava um churrasco onde Walisson bebia com amigos.

Câmeras de segurança flagraram o momento em que dois homens desceram de um Hyundai HB20 branco e entraram no local. Segundo a corporação, Walisson foi atingido por oito disparos de pistola .40.

A tranquilidade do suspeito que dava suporte de fuga aos atiradores foi tamanha que, enquanto aguardava o retorno dos comparsas, deu ré para que carro com família moradora da vizinhança pudesse estacionar.

A arma utilizada no crime foi apreendida. O objeto passou por perícia e o resultado foi confrontado com os projéteis retirados do corpo da vítima. Os testes revelaram compatibilidade entre arma e cápsulas deflagradas.

Segundo o delegado, os suspeitos já possuem antecedentes por roubo, associação criminosa, estelionato e furto. Eles estão detidos no presídio da cidade.