Tayrone rebate e desafia Daniel para debate sobre investimentos do Governo de Goiás

Em postagens nas redes sociais, secretário de Governo desmonta argumentação de deputado federal do PMDB e o convoca para debate público

O secretário de Governo, Tayrone Di Martino, rebateu neste sábado (25), críticas do deputado federal Daniel Vilela (PMDB) sobre os investimentos do Programa Goiás na Frente e desafiou o parlamentar para debate público sobre o tema. Em postagens nas redes sociais, Tayrone afirmou que “Daniel erra, mais uma vez, em sua tentativa de tirar proveito eleitoral das ações do governo Marconi Perillo”.

“Sei do trabalho deste Governo para Goiás. Desafio a um debate público sobre os investimentos nos municípios”, afirmou Tayrone, em postagens em seu perfil no Twitter. “Se topar, e o fizer com espírito público, tenho certeza que defenderá este Governo, como já fazem alguns próximos ao senhor”, afirmou o secretário de Estado de Governo.

Tayrone afirmou que a relação de investimentos apresentada pelo Governo de Goiás com recursos da privatização da Celg Distribuição, da ordem de R$ 840 milhões, e que incluem outras fontes de receitas do Estado são apenas parte do montante previsto no Programa Goiás na Frente. “Os recursos da privatização da Celg serão aplicados em obras estruturantes, independente dos partidos dos prefeitos dos municípios”, esclareceu o secretário de Governo.

“Os números não mentem, Daniel Vilela: 21,8% dos municípios beneficiados são governados pela oposição, e receberão 36,4% das obras”, afirmou Tayrone, completando: “É uma pena que o senhor torça contra Goiás, contra os prefeitos e contra a população”. “Esses investimentos são só a 1ª parte dos recursos alocados pelo governador Marconi Perillo no Programa Goiás na Frente. Vem muito mais por aí: estamos agora finalizando os convênios com todos os 246 municípios de Goiás”, disse.

O secretário de Governo esclareceu que, além dos recursos da privatização e de outras fontes do Tesouro, o governador Marconi Perillo está destinando R$ 500 milhões exclusivamente para as prefeituras, contemplando todos os 246 municípios. “Além da receita da Celg e convênios, o governador Marconi Perillo aplicará recursos de várias outras fontes em investimentos em 2017-18”, afirmou.

“Há ainda outros recursos do Tesouro e da economia com as medidas de austeridade adotadas pelo governador. O montante de R$ 840 milhões será empregado com base em critérios técnicos, segundo as necessidades de cada região”, esclareceu Tayrone, em resposta ao deputado federal.

“O senhor está desesperado e confuso, Daniel Vilela, porque torce contra Goiás e agora se depara com os resultados da gestão Marconi Perillo. A verdade é que nenhum governo estadual está conseguindo fazer o que se faz em Goiás”, disse Tayrone. “Isso é fruto de muito trabalho, planejamento e responsabilidade, ao contrário do que fizeram e fazem os governos do PMDB”, disse, encerrando: “Além de deseperado, o senhor está confuso, Daniel Vilela, porque estamos mesmo diante de um volume muito expressivo de recursos para obras”.

Postagens do secretário de Governo, Tayrone Di Martino, no Twitter, em resposta ao deputado federal Daniel Vilela. (Imagem: Divulgação)

Programa Goiás na Frente

O governador Marconi Perillo definiu nesta sexta-feira (24) a destinação de parte dos recursos do Programa de Investimentos e Entrega de Obras e Benefícios Goiás na Frente. Em decreto publicado no Diário Oficial do Estado, Marconi apresenta a relação de obras que receberão os recursos da privatização da Celg Distribuição.

O governador e sua equipe trabalham agora na definição das demais obras e montantes de recursos do Goiás na Frente. A relação completa será apresentada à população durante a apresentação do Programa Goiás na Frente, na próxima quinta-feira (30 de março), às 10h30, em ato público no Palácio da Música, Centro Cultural Oscar Niemeyer (CCON).

A relação das obras que receberão os investimentos provenientes da receita da privatização consta do Decreto Número 8.918, publicado no Suplemento da edição do Diário Oficial do Estado desta sexta-feira (24/3). A lista traz investimentos em rodovias (obras de duplicação, construção, reconstrução e conclusão de trechos), saúde (hospitais, Credeqs e Ambulatório Médico de Especialidades) e obras civis (Aeroporto de Cargas, Centro de Convenções e Anel Viário, em Anápolis).

Os investimentos nos três setores serão de R$ 842.447.056,28 – R$ 500 milhões nas rodovias, R$ 240 milhões na área da Saúde, e R$ 102.447.056,28 na conclusão de obras civis. “Os recursos financeiros originários da alienação das ações integralizadas do capital social da CELG Distribuição S.A (Celg D) deverão ser aplicados nas obras prioritárias a seguir relacionadas”, afirma o texto do decreto, ressaltando o que o governador vinha afirmando, em entrevistas à imprensa, que os recursos seriam investidos em obras consideradas prioritárias.

São 53 obras de infraestrutura (rodovias), 20 obras na área da Saúde, e 10 obras civis. Dentre as obras na malha rodoviária, está a duplicação de quatro rodovias: GO-070, GO-213, GO-080 e GO-010. As obras rodoviárias estão divididas em três grupos. Em dois deles, há a especificação de que serão utilizados também recursos do Tesouro Estadual e do BNDES. Em meio às obras da Saúde, está a construção dos Centros de Referência e Excelência em Dependência Química (Credeqs) em Caldas Novas, Morrinhos, Goianésia, e Quirinópolis.

Constam, também, seis Ambulatórios Médicos de Especialidades (AMEs), e obras de expansão do Hugol e do HDT, dentre outros hospitais. As obras civis serão realizadas nas cidades de Alto Paraíso, Anápolis, Goiás, Posse, Santo Antônio do Descoberto e São Luiz dos Montes Belos. Dentre elas estão a conclusão do aeroporto de cargas, Centro de Convenções de Anápolis, e anel viário. Abaixo estão as tabelas do Decreto Número 8.918, que dispõe sobre a aplicação dos recursos provenientes da privatização da Celg Distribuição, que foi arrematada pela italiana Enel.