Agência Brasil

Temer, Macri e Cartes vão analisar situação da Venezuela no Mercosul após o dia 12

Governantes do Brasil, da Argentina e do Paraguai vão discutir a autoproclamação do governo venezuelano a presidência do bloco

Fontes do governo brasileiro informaram nesta sexta-feira (05/08) que os governantes da Argentina, do Brasil e do Paraguai mantiveram uma reunião para estudar a situação da Venezuela ante a falta de consenso sobre a presidência do Mercosul.

De acordo com as fontes consultadas, em uma breve reunião, os presidentes Mauricio Macri, da Argentina, e Horacio Cartes, do Paraguai, acertaram com o presidente interino do Brasil, Michel Temer, de analisar a situação da Venezuela no bloco depois do dia 12 deste mês.

No próximo dia 12, vence o prazo para que a Venezuela conclua a adesão à norma do bloco sul-americano e, depois dessa data, segundo o que foi acordado, os três países voltarão a fazer consultas sobre a situação gerada após a transferência da presidência do bloco do Uruguai à Venezuela.

Os presidentes da Argentina, Paraguai e Brasil reuniram-se durante o coquetel de boas-vindas oferecido por Temer, na sede da chancelaria brasileira no Rio de Janeiro, aos chefes de governo antes da cerimônia inaugural dos Jogos Olímpicos.

O presidente do Uruguai, Tabaré Vázquez, não compareceu à cerimônia olímpica.

Nesta sexta-feira, o governo da Venezuela içou a bandeira do bloco na capital, Caracas, e proclamou-se presidente pro tempore do Mercosul. O governo venezuelano voltou a afirmar que Argentina, Brasil e Paraguai pretendem “tomar de assalto” o comando do bloco em uma manobra que as autoridades locais consideram idealizada pelos Estados Unidos.