Transferência de capital é marcada por promessas do governo sobre investimentos no turismo local

Governador comentou problemas em relação à execução do Fica provocados, segundo ele, “pela gestão anterior” e anunciou investimento no Caminho de Cora

Na quinta-feira (25), a Cidade de Goiás tornou-se, temporariamente, a capital do Estado. A transferência simbólica que marca as celebrações dos 292 da antiga sede do governo reuniu representantes das três esferas do poder estadual em frente ao Palácio Conde dos Arcos, na Praça do Coreto. Entre as ações destacadas pelo governo na ocasião, o Turismo foi um dos tópicos centrais da administração, que pode chegar a não conduzir a realização do Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental (Fica) este ano.

Segundo o próprio governador, antes de pensar em uma nova edição, é preciso garantir o pagamento dos premiados de 2018, que, apesar de anunciados, não receberam seus cheques. Para retomar o festival, uma das principais atrações turísticas do interior goiano, afirmou que irá buscar parcerias com o Governo Federal e pediu apoio de universidades, artistas e da prefeitura.

A indefinição do governo sobre a realização do evento fez com que produtores culturais se movimentassem paralelamente  para garantir uma edição independente para o Fica. O esforço resultou em uma programação pensada para durar dois meses a partir do próximo 6 de setembro.

Embora a participação governamental no evento caminhe para não ocorrer, em razão de alegados débitos deixados pela gestão anterior, Caiado afirmou que irá investir no Turismo local com a construção do Caminho de Cora.

“Vou entregar antes de terminar meu mandato”. Segundo ele, serão elaborados projetos para incrementar e impulsionar o turismo. Um trabalho desenvolvido pela gestão em parceria com a Unesco.

O Caminho de Cora é uma rota de 300 quilômetros de extensão que mistura história, gastronomia, ecoturismo e cultura. O trajeto passa por cinco cidades – da antiga capital, passando por Pirenópolis, até Corumbá de Goiás – por meio de caminhos históricos, cachoeiras e parques.

Rumo aos 300 anos

Na ocasião da transferência, o governador vistoriou tropas, assistiu a um desfile militar e ressaltou que a cidade consegue manter viva a sua história. “[A Cidade de Goiás] nos impõe o dever de mantermos essa tradição, a ética, a dignidade e a transparência, construindo o que o povo deseja”.

A anfitriã e prefeita da cidade Selma Bastos (PT), revelou que moradores da cidade já se preparam para a celebração dos três séculos da fundação de Goiás. Ela celebrou também, com o governo, a assinatura de uma pareceria que contempla o Hospital São Pedro de Alcântara com 10 leitos de UTI, que atende pessoas das regiões do Rio Vermelho e do Rio Araguaia.