Travesti é baleada na perna após discussão em ponto de prostituição de Itumbiara

Crime ocorreu por volta das 21h, no último dia 17 de abril deste ano. Mandado de prisão contra suspeito foi cumprido na segunda (14)

Após discussão, suspeito atira em travesti que se prostituía próximo à casa familiar (Foto: Divulgação / PC)

A Polícia Civil prendeu de maneira preventiva um homem suspeito de tentar matar a tiros uma travesti, na cidade de Itumbiara, no Sul de Goiás. Segundo os investigadores, a mulher trans estava em um ponto de prostituição em frente à casa da sogra do atirador. O homem teria iniciado uma discussão em razão da presença da vítima no local. Na sequência, ele pegou uma pistola, deixou filho de 9 anos e a esposa em uma calçada próxima, e deu a volta no quarteirão para realizar os disparos.

O crime ocorreu por volta das 21h, no último dia 17 de abril deste ano, na Avenida Afonso Pena, em Itumbiara. Entretanto, a prisão só ocorreu nesta segunda-feira (14). De acordo com o delegado Felipe Delta, responsável pelo caso, o homem não era cliente da travesti, apenas estava incomodado pela presença dela. Veja abaixo o vídeo que registrou o momento dos disparos.

“O travesti começou a falar desaforos, mandado sair dali, que eu estava estorvando. Minha esposa e meu filho de 9 anos desceram do carro e eu disse ‘desconfia, vai procurar seu rumo’, mas ele continuou xingando. Foi quando ‘arrodeei’ o quarteirão e peguei minha arma e dei dois tiros, mas só para assustar”(sic), disse o investigado em depoimento, ao qual o Mais Goiás teve acesso.

Após o crime o investigado afirmou ter lançado a arma dentro de um rio, em um rancho que visitou. “É que arma não tava registrada no meu nome. Eu e minha família ligamos para a assistência médica, pra socorrer o travesti (sic)”, disse o homem em depoimento.

O investigador afirma que o homem não deu mais detalhes sobre onde conseguiu a arma. Apesar de ter alegado que jogou a arma fora, a polícia encontrou o objeto posteriormente, na casa dele. O suspeito já foi preso uma vez pelo crime de ameaça, segundo o delegado.

O Mais Goiás não localizou a defesa do investigado para mais detalhes. Mas, segundo delegado, ele foi preso por tentativa de homicídio qualificado e posse irregular de arma de fogo. O mesmo foi recolhido ao presídio, ficando à inteira disposição da Justiça.

Versão da vítima

Em depoimento à polícia, a travesti alega que estava conversando com um vendedor de laranjas, quando a mulher do suspeito e a criança desceram do carro. Em seguida, o motorista gritou ‘sai dai viado desgraçado (sic)’ e ela retrucou. “Continuei conversando com o vendedor de laranjas, quando o carro voltou a aparecer e só vi um clarão dos disparos”, detalhou.

A vítima foi atingida com em sua perna direita e imediatamente socorrida por testemunhas. Ela nega ter iniciado a discussão com o homem, alegando que apenas retribuiu as ofensas. A reportagem também não teve acesso à defesa dela.

No Brasil, prostituição não é crime.