Turistas que se perderam em trilha ficaram acampados até que chuva apagasse queimada na mata

O grupo assinou uma nota à imprensa explicando como passaram os dias na mata, como se alimentaram e pediram resgate ao escutar o barulho do helicóptero

Após dois dias perdidos na floresta em busca da cachoeira do Dragão, em Alto Paraíso, no Parque Nacional Chapada dos Veadeiros (GO), os turistas Aline, Mauro, Gustavo, Cássia e Juliana foram resgatados por um helicóptero do Corpo de Bombeiros de Goiás na terça-feira (22). O grupo assinou uma nota à imprensa explicando como passaram os dias na mata, como se alimentaram e pediram resgate ao escutar o barulho da aeronave.

“Havíamos feito o planejamento de fazer a travessia pela cabeceira do Rio Macacão, na modalidade exploratória, a fim de conhecer todas as cachoeiras do Vale do Rio Macacão e regiões que contornam o leito do rio. Estávamos equipados com: cordas, freio 8, mosquetões, capacetes, spot gen 3, bússola, cartas topográficas, e GPS Garmin, fotos de satélites, e Wikilok, dentre outros”, inicia a nota.

O destino final, segundo o relato, seria a cachoeira do Dragão, rumo para o qual contrataram um guia para conduzi-los, conforme exige a Reserva Piraquara. O local de encontro com o guia seria no estacionamento do início da trilha e de lá seguiriam a pé à cachoeira do Dragão, com chegada prevista para o domingo (20).

Segundo a nota, os turistas chegaram aos locais conforme planejado, porém, em determinado momento foram surpreendidos com um incêndio localizado de cima a baixo de um morro, na posição em que estavam e na direção para onde seguiriam. Diante da situação, o grupo evadiu em direção ao leito de um rio para encontrar abrigo seguro e água. “Ficamos no rio, observando as queimadas, acampamos e esperamos o momento certo para poder sair com total segurança do local”, explica o texto.

O grupo só conseguiu sair do leito do rio na segunda-feira (21) quando uma chuva apagou totalmente as queimadas. “Isso retardou bastante nosso percurso, pois ficamos muito tempo esperando o fogo apagar. Após isso, seguimos para a nossa direção final, mesmo com todo esse atraso”, relatam.

O grupo chegou ao topo da montanha do Morro do Macacão para tentar fazer contato sonoro com um barracão avistado no local. Após conseguir contato, “ancoramos a corda, para iniciar a descida do morro. Após duas pessoas já terem seguido na via de rapel em direção ao leito do rio, avistamos o helicóptero dos bombeiros e chamamos atenção deles com sinalizador de fumaça”.

A nota continua narrando que os “bombeiros acompanharam o grupo na descida do morro até a aeronave que já estava pousada no Camping da Cachoeira do Dragão, onde foi feito o nosso transporte até o aeroporto de Alto Paraíso”. Lá, segundo a nota, havia uma equipe dos Bombeiros e alguns guias da Associação. “Recebemos atendimento dos paramédicos do SAMU e dispensamos uma possível ida ao hospital, por que o nosso estado de saúde foi constatado que estava muito bom”.

Ao fim do texto, o grupo deixa claro que o trajeto nessa trilha foi feita com “total ciência dos riscos” e que os mesmos foram avaliados previamente. “Reiteramos a importância de preparo técnico, tais como: orientação e navegação terrestre, sobrevivência, montanhismo, primeiros socorros e experiência em atividades outdoor. Agradecemos o apoio e orações de todos os amigos, conhecidos e desconhecidos que torceram para que tudo estivesse tudo bem conosco; à equipe dos bombeiros pelo trabalho, presteza, atenção e compreensão; e a todos os que se envolveram em nossa busca”, finaliza a nota assinado pelo grupo.