Vereador de Trindade é investigado por orientar cliente a dizer que é gay para evitar acusação de estupro

Câmara da cidade abriu procedimento de investigação por decoro parlamentar. Vítima do abuso seria garota de 14 anos

Câmara Municipal de Trindade (Foto: Divulgação)

A Câmara Municipal de Trindade abriu procedimento para investigar o vereador Dr. Edson Cândidato (PDT) por decoro parlamentar. Ele, que é advogado, teria instruído um cliente a se passar por homossexual para escapar de acusações de abuso sexual contra adolescente de 14 anos.

A denúncia foi feita através de representação à Câmara Municipal na última quarta-feira (15), apresentada por uma jornalista da cidade, por decoro parlamentar. Ela pediu afastamento do vereador enquanto tramitar a apuração.

Em votação, os vereadores aceitaram a representação e instauraram a comissão que investigará o parlamentar, composta pelos vereadores Dr. Dyego Marques (PSD), Baiano do Esporte (Republicanos) e Wender Bodin (Podemos). Os vereadores foram escolhidos através de sorteio.

O vereador Dr. Edson Candido permanecerá no cargo durante a investigação. A comissão tem 90 dias para concluir os trabalhos.

O Mais Goiás tenta contato com o vereador. O espaço está aberto para livre manifestação.

Entenda

Em uma gravação vazada, atribuída ao vereador, ele orienta um suspeito de estupro de uma garota de 14 anos a fingir que é homossexual no intuito de enganar a promotora de justiça e a juíza do caso. “Cara, o único jeito de você sair agora é dizer que você virou ‘viado’ (sic), você é gay”.

O áudio ainda mostra deboche em relação à vítima. “A mulher é gigante, pelo pai dela tinha levado ferro”, diz. “Pega uma menina de 14 anos e você fala que ela é ingênua”, continua.

“Brincadeira”

Em nota publicada em O Popular, o vereador diz que a afirmação se trata de uma brincadeira e que não podem acusá-lo de corrupção. Segundo ele, as acusações se tratam de uma “extorsão”.

“O áudio divulgado, em que brinco com um amigo em relação à defesa de um cliente não passou de uma brincadeira onde uma terceira pessoa que está acostumada a praticar extorsão a políticos de Trindade gravou para tentar me intimidar e me calar na defesa do povo, que me elegeu na cidade de Trindade”, aponta a nota.