Vereadores aprovam proibição de porte de arma na Câmara de Goiânia

Matéria foi proposta após vereador Sargento Novandir (Avante) ameaçar trocar tiros com Santana Gomes (PRTB)

Polêmica com IPTU pode fazer sargento Novandir desistir de disputar Assembleia
Polêmica com IPTU pode fazer sargento Novandir desistir de disputar Assembleia (Foto: Reprodução - Câmara Municipal de Goiânia)

Os vereadores aprovaram proibição de porte de arma dentro das dependências da Câmara Municipal de Goiânia, durante sessão tumultada na manhã desta quinta-feira (12). A matéria foi proposta após o vereador Sargento Novandir (Avante) ameaçar trocar tiros com Santana Gomes (PRTB).

Sargento Novandir chegou a apresentar uma emenda para que o porte de arma fosse proibido somente no plenário, nas salas de comissões e de reuniões. No entanto, a ideia acabou sendo rejeitada com 14 votos contrários e quatro favoráveis.

“A arma não é para atirar em ninguém no plenário. Não vou usar para fazer mal para ninguém. Sou preparado para usar minha arma de fogo. É muita maldade com nós policiais”, disse. “Eu não tenho onde guardar minha arma. Minha emenda permitiria que eu guardasse a arma em um cofre no meu gabinete”, argumentou.

O vereador Cabo Senna (Patriota) pediu vistas do projeto, mas a iniciativa também acabou rejeitada por 14 votos a 4.

Durante as discussões, o vereador Anselmo Pereira (MDB), líder do prefeito na casa, afirmou que já teve que segurar por duas vezes canos de revólver dentro do plenário da Câmara Municipal.

No entanto, salientou que a emenda, apresentada por Novandir, seria melhor aceita se fosse submetida durante a passagem da matéria pela Comissão de Segurança Pública da casa. Novandir argumentou que, apesar de membro, não foi chamado para a votação.

Anselmo Pereira se comprometeu a fazer uma emenda aditiva para que o porte seja permitido

Relembre

O vereador Sargento Novandir ameaçou trocar tiros com Santana Gomes (PRTB) durante sessão realizada no dia 30 de março deste ano. “Eu recebo da polícia proporcional a 17 anos que troquei tiro com ladrão. Hoje infelizmente eu não posso trocar tiro com colarinho branco. Senão com certeza nós dois trocaríamos [tiros]”, disse a Santana Gomes em plenário.

A confusão a teve início após Novandir chamar atenção de Santana Gomes por críticas dele aos vereadores da base do prefeito Rogério Cruz (Republicanos). Em resposta, Santana disse que o Sargento recebe da Câmara e tem outro salário, de R$ 14 mil, e o chamou de “marajá”.

Em outra ocasião, Novandir tirou o cinto e arma durante discussões sobre aumento do IPTU em Goiânia.