Vigilante penitenciário é preso ao tentar passar celular e arma a detentos da CPP em Aparecida

Homem confessou que receberia R$15 mil caso o repasse dos itens fosse bem sucedido

Vigilante penitenciário é preso ao tentar passar celular e arma aos detentos em presídio de Aparecida
Vigilante penitenciário é preso ao tentar passar celular e arma aos detentos em presídio de Aparecida (Foto: DGAP)

Um Vigilante Penitenciário Temporário (VPT) foi preso em flagrante com celular e arma que seriam repassados a detentos da Casa de Prisão Provisória (CPP) de Aparecida de Goiânia. O homem, 23, confessou que receberia R$ 15 mil pela entrega, caso esta fosse bem sucedida.

Vigilante foi flagrado em revista eletrônica

O funcionário temporário foi flagrado quando submetido a uma revista com body scanner ao chegar para o trabalho na quarta-feira (23). O aparelho identificou equipamentos eletrônicos dentro de um recipiente usado para armazenar alimentos.

Agentes encontraram então um celular, três carregadores e outros objetos eletrônicos. Com isso, Policiais Penais revistaram o carro do vigilante, onde localizaram uma arma de fogo sem registro.

Questionado, o suspeito confessou que tentaria repassar os itens a detentos. Ele receberia R$ 15 mil pela entrega efetuada.

DGAP afirma que o caso será apurado

O VPT, que presta serviço no sistema penitenciário desde 2020 e ingressou por meio de processo seletivo, foi conduzido para a delegacia e preso por favorecimento real, corrupção ativa e porte ilegal de arma de fogo.

A Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP) informou que “procedimentos administrativos foram abertos para apurar o fato e, após averiguações, serão aplicadas as devidas sanções penais aos destinatários dos materiais, conforme determina a Lei de Execução Penal (LEP)”.

LEIA MAIS

Rebelião termina com 5 mortos e 18 feridos em presídio em Salvador

Agentes descobrem droga escondida em biscoitos na penitenciária de Aparecida

DGAP desativa presídio de Buriti Alegre

 

*Jeice Oliveira compõe programa de estágio do Mais Goiás sob supervisão de Hugo Oliveira