Telemania

Crítica: Obi-Wan Kenobi (minissérie) – Disney+

Que decepção!

(Foto: Disney-Lucasfilm)

“Obi-Wan Kenobi” é medíocre. Medíocre tanto em sua execução, quanto no desenvolvimento de sua história. Não sou um alto conhecedor do universo Star Wars com seus inúmeros personagens, ou livros com histórias derivadas, etc, mas assisto aos filmes, estou acompanhando as séries live-action e, apesar da franquíssima nova trilogia produzida pela Disney, gosto deste mundo criado por George Lucas e sempre fui um defensor dos Episódios I, II e III – mesmo com todos os problemas.

E uma das melhores coisas que tivemos na trilogia prequel dirigida por Lucas foi justamente Ewan McGregor como Obi-Wan Kenobi. Lá, o conhecemos desde que era um padawan até quando se transformou em um Mestre Jedi responsável por treinar Anakin Skywalker. A relação de ambos sempre foi essencial para a história, e é ela que culmina no trágico desfecho que ocasiona o surgimento de Darth Vader ao final do Episódio III, “A Vingança dos Sith”. Portanto, Obi-Wan e Anakin sempre tiveram esta conexão, e enfatizar nela era o caminho mais óbvio para a Disney criar uma série solo de Kenobi.

No entanto, Obi-Wan é um personagem tão fascinante, e interpretado com tanta maestria por McGregor (e anteriormente por Alec Guinness nos filmes clássicos), que presenciar o roteiro superficial, bobo e sem nenhum tipo de criatividade deste seriado é vergonhoso. Além da obviedade do futuro dos personagens novos (já que os veteranos nós conhecemos o desfecho), o show é pessimamente dirigido por Debora Chow com inúmeras sequências vergonhosas repletas de resoluções fáceis. A primeira cena de encontro entre Obi-Wan e Darth Vader é completamente sem inspiração e empurrada por uma luta sem ritmo ou tensão, e em meio a um visual escuro e sem vida. Aliás, as lutas com sabres de luz desde que a Disney comprou a Lucasfilm são péssimas – George Lucas fez muito melhor nos Episódios I, II e III (a sensação que tenho é de que os atores não possuem tempo para ensaiar as lutas, daí fica no ‘qualquer coisa’ mesmo).

Mas, possivelmente, o ponto de maior decepção neste seriado é o roteiro óbvio que perde a oportunidade de entregar um estudo de personagem triunfal para Obi-Wan. Entendo que Star Wars é originalmente para criança, mas uma série solo de “Obi-Wan” nada mais é do que um produto fan service para os fãs mais velhos (principalmente!), portanto, tratar a plateia como idiota em sequências risíveis como o protagonista fugindo do Império com a princesa Leia criança escondida debaixo de seu casaco, é exigir muita suspensão de descrença.

No geral, “Obi-Wan Kenobi” poderia ter investido em outro tipo de aventura onde não envolvesse Luke, ou Leia ou Darth Vader, afinal, entre o Episódio III e o Episódio IV há um período de mais ou menos 20 anos. Investir em algo fora do óbvio, poderia render um show muito mais interessante e menos previsível, e com um senso de propósito mais convincente. Já aqui, além do desfecho sem surpresas, tudo soa jogado e repetitivo. Mas se a intenção era se manter na zona de conforto, que fosse ao menos bem filmado e divertido de assistir – no mínimo!

Obi-Wan Kenobi (minissérie) – 2022

Número de episódiso: 06

Dirigido por: Debora Chow

Com: Ewan McGregor, Moses Ingram, Vivien Lyra Blair, Hayden Christensen…

Sinopse: Dez anos depois dos trágicos eventos de “A Vingança dos Sith”, Obi-Wan Kenobi está exilado em Tatooine, protegendo a criança que poderá derrotar o Império e trazer a paz para a galáxia…

Obi-Wan Kenobi (TV Mini Series 2022) - IMDb