TAXAÇÃO

“Caiado é contra o agro”, dizem produtores rurais em protesto na Assembleia

"O agro é irredutível. Não aceita negociação, quer zero taxação", afirma deputado organizador do ato

Cerca de 500 produtores rurais protestam contra taxa de Caiado para o agro na Assembleia
Cerca de 500 produtores rurais protestam contra taxa de Caiado para o agro na Assembleia (Foto: Enviada ao Mais Goiás)

Cerca de 500 produtores rurais participaram de um protesto contra a taxação do agro por projeto do governador Ronaldo Caiado (União Brasil), nesta manhã de quarta-feira (16). O ato ocorreu na Assembleia Legislativa de Goiás (Alego). Em um dos momentos do protesto, os produtores rurais gritaram: “Caiado é contra o agro”. Haverá mais manifestações no período da tarde.

De acordo com o deputado estadual Paulo Trabalho (PL), participaram representantes da Associação dos Fornecedores de Cana de Goiás (Aprocana-GO), Associação dos Produtores de Soja e Milho de Goiás (Aprosoja-GO) e Federação da Agricultura e Pecuária de Goiás (Faeg) e mais. “O agro é irredutível. Não aceita negociação, quer zero taxação”, afirma o deputado. Segundo ele, a expectativa é que o projeto seja retirado ou que os legisladores, mesmo os da base, votem contra.

Destaca-se, a taxação prevista no projeto pode chegar até 1,65% e serve para compensar a perda de arrecadação do ICMS por medida do governo federal, conforme justifica o Estado. Esta não terá incidência em toda a produção agropecuária. Apenas os produtores de milho, soja, cana de açúcar, carnes e minérios serão contribuintes. A proposta do governo estadual é que o valor arrecadado vá para um fundo e seja investido na infraestrutura do Estado.

Segundo Trabalho, existem regiões onde as margens são diferentes (piores) e a proposta sequer distingue isso. “É um projeto que não agrega nada para Goiás. Eles esperavam isso do Lula (PT), não Caiado. Para todos, o governador é um traidor.”

Assista ao vídeo

 

Ver esta publicação no Instagram

 

Uma publicação partilhada por Mais Goiás (@maisgoias)