HOMOFOBIA

Trindade: casal de lésbicas é agredido com socos, chutes e mordida por vizinhos

Pelo menos três ocorrências já foram registradas na polícia contra os mesmos vizinhos

Duas mulheres, de 38 e 39 anos, denunciam ter sido agredidas com socos, chutes e mordida por três vizinhos em Trindade, na Região Metropolitana de Goiânia. Crimes teriam ocorrido em razão da orientação sexual das vítimas. Pelo menos três ocorrências já foram registradas na polícia contra as mesmas pessoas.
Casal de lésbicas é agredido com socos, chutes e mordida por vizinhos, em Trindade (Foto: Reprodução - Arquivo Pessoal)

Duas mulheres, de 38 e 39 anos, denunciam ter sido agredidas com socos, chutes e mordida por três vizinhos em Trindade, na Região Metropolitana de Goiânia. Os crimes teriam ocorrido em razão da orientação sexual das vítimas. Pelo menos três ocorrências já foram registradas na polícia contra as mesmas pessoas.

A vítima contou ao G1 Goiás que, na situação registrada na última semana, ela e a esposa levaram socos, chutes, pontapés e até mordidas. Ela estava varrendo a porta da casa quando uma das vizinhas chegou, começou a encará-la e a debochar dela.

Segundo a denunciante, a filha da vizinha e o marido também participaram das agressões. O homem tentou enforcá-la e deu socos em sua barriga. Outros vizinhos filmaram a situação, mas não chamaram a polícia.

“Estamos sofrendo perseguição por sermos homossexuais. Eu estava varrendo a porta de casa e a vizinha estava me encarando. Eu perguntei ‘o que foi que você está olhando?’ e ela falou ‘como é que é?’ e já veio e falou ‘cala a boca, sua sapatona vagabunda’. Me deu um tapa e vários murros”, contou.

A vítima e a companheira conseguiram chamar a Polícia Civil e a suspeita de começar as agressões chegou a ser levada para a delegacia, mas foi liberada logo em seguida. As vítimas passaram por um exame de corpo de delito e o relatório médico apontou que elas tiveram lesões no rosto, tronco, vários ferimentos, hematomas, traumas abdominais e marca de uma mordida no rosto.

Embora vivam na casa há 10 anos, as agressões só começaram em julho deste ano. Segundo a vítima, a primeira ocorrência foi registrada quando ela foi até a casa da vizinha reclamar de um vazamento que estava causando uma infiltração no muro da residência dela e foi recebida com ofensas.

Já a segunda ocorrência foi registrada quando a vítima estava fazendo uma obra e foi, junto com a esposa, até a casa da vizinha para dizer que iria aumentar o muro. Na ocasião, elas também foram recebidas com ofensas.