justiça

Acusado de matar idoso por engano na porta de distribuidora de Aparecida vai à júri popular

O disparo efetuado por Hítalo Alexandre atingiu o chão e depois acertou a cabeça de Sebastião Silva

Acusado de matar idoso na porta de distribuidora de Aparecida vai à júri popular Hítalo Alexandre acertou a cabeça de Sebastião Silva
(Foto: Reprodução)

A Justiça mandou para júri popular Hítalo Alexandre Honorato, acusado de matar o aposentado Sebastião Silva, de 65 anos, enquanto ele tomava refrigerante e fazia palavras cruzadas em frente a uma distribuidora de bebidas no Parque das Nações, em Aparecida de Goiânia. O caso aconteceu no dia 30 de novembro de 2023.

Na época, Hítalo atirou em direção a dois rivais que estavam no local. O disparo atingiu o chão e depois acertou a cabeça de Sebastião, que não tinha nenhum vínculo com as pessoas envolvidas. O idoso foi encaminhado para o Hospital de Urgências de Goiás (Hugo), mas não resistiu e morreu na manhã de 1° de dezembro.

O delegado Rogério Bicalho disse que o acusado confessou que atirou porque queria atingir outros dois homens. Hítalo afirmou que os rapazes que encontrou na distribuidora de bebidas eram integrantes de uma facção e estavam ameaçando matá-lo há algum tempo, chegando a efetuar disparos em sua casa.

Hítalo Alexandre foi preso no dia 2 de fevereiro e vai aguardar o julgamento na prisão. A Justiça entendeu que sua soltura seria um risco, levando em conta os antecedentes criminais.

Segundo a Justiça, o júri popular será dividido em duas fases. Na primeira fase, o juiz julgará a admissibilidade da acusação, e na segunda ocorrerá o julgamento pelo Tribunal do Júri Popular. A data ainda não foi divulgada.

Sebastião Silva era casado há 40 anos e deixou dois filhos e dois netos. Para a TV Anhanguera, a família do aposentado disse que ele tinha bastante vitalidade, competia em maratonas e adorava viajar. Além da corrida, gostava de futebol e tinha o Goiânia Esporte Clube como time do coração.