RACISMO

“Negro não termina o serviço”: funcionária de limpeza denuncia racismo em indústria de Anápolis

Vítima relatou que se sentiu ofendida e humilhada. Relata também que a suspeita das acusações é branca, magra e aparenta ter 52 anos

Todo negro que vem aqui não termina o serviço
Todo negro que vem aqui não termina o serviço". (Foto Ilustrativa : Agência Brasil)

Uma funcionária, 48. de uma empresa de limpeza terceirizada em Anápolis procurou a Polícia Civil nesta quarta-feira (17) para denunciar que foi vítima de racismo. O caso aconteceu no Distrito Agro Industrial de Anápolis (Daia). “Todo negro que vem aqui não termina o serviço”, disse a encarregada da empresa onde a vítima prestava serviço, aponta boletim de ocorrência.

Ainda segundo o documento, a vítima relatou que se sentiu ofendida e humilhada. Relata também que a suspeita das acusações é branca, magra e aparenta ter 52 anos.

Como a suspeita das acusações não foi identificada, a reportagem não conseguiu entrar em contato com a defesa para indagar sobre as acusações.

Em nota ao Mais Goiás, a QUALICAPS informou que as envolvidas nos fatos de racismo fazem parte do quadro de empregados da empresa contratada para prestação de serviços de limpeza e que já notificou a empresa para tomar as providências necessárias para apurar os fatos e as medidas disciplinares e judiciais cabíveis. A QUALICAPS informa, ainda, que repudia todo e qualquer tipo de preconceito e discriminação