MELHORIAS

Eixo Anhanguera: Governo projeta renovação total para frota elétrica ainda em 2024

O governador Ronaldo Caiado (União Brasil) juntamente com prefeitos e auxiliares apresentaram, nesta segunda-feira (29),…

Caiado anuncia novas medidas para o transporte coletivo com renovação de frota do BRT Norte Sul, no Eixo Anhanguera (Foto: Divulgação)

O governador Ronaldo Caiado (União Brasil) juntamente com prefeitos e auxiliares apresentaram, nesta segunda-feira (29), os planos para reformulação completa do transporte coletivo da região Metropolitana de Goiânia para os próximos dois anos e reforçou que a renovação total da frota do Eixo Anhanguera com veículos totalmente elétricos deverá ocorrer ainda em 2024, como antecipado pelo Mais Goiás.

Caiado reuniu prefeitos, representantes e empresários do transporte coletivo da região Metropolitana de Goiânia para apresentar os detalhes. 6 ônibus elétricos articulados de 23 metros para atender o Eixo Anhanguera devem chegar dentro dos próximos dois meses. No BRT Norte-Sul, também está previsto que seis veículos elétricos de 15 metros estejam disponíveis para operação.

Além da renovação da frota do Eixo Anhanguera e a chegada dos ônibus que vão operar no BRT Norte-Sul, ainda está no cronograma novos veículos convencionais que vão atuar nas chamadas linhas alimentadoras. Serão mais de mil veículos a diesel padrão euro. Os investimentos chegam a R$ 1.6 bi.

O evento também marcou o anúncio do início das obras que tiveram pontapé inicial nesta segunda-feira (29), como obras de reforma no Terminal Novo Mundo e Estação Hemocentro, também adiantadas em outubro do ano passado pelo Mais Goiás. O cronograma prevê revitalização de todas as plataformas, além de terminais do Eixo Anhanguera ainda em 2024.

Caiado: Além do Eixo Anhanguera, “reconstruímos tudo no transporte coletivo”

Tanto no discurso como na coletiva de imprensa, Caiado usou o tempo para críticas às gestões passadas. Disse, inclusive, que o governo passado asfixiava o empresário que não tinha como fazer os investimentos necessários e que teve de promover a “reconstrução total” do transporte coletivo.

“Estava quase destruído e tivemos de remontar, reconstruir tudo quando assumimos. Com a recuperação dos terminais, pontos de ônibus e dos próprios ônibus com a tarifa congelada desde 2019. A frota que será gradativamente renovada por ônibus elétricos nos eixos. Não é fácil, mas cada mês melhoramos um pouco”, pontuou.

Um dos responsáveis por “colocar a mão na massa” da reformulação, o secretário-Geral de Governo, Adriano Rocha Lima refutou a ideia de que o projeto não seja executável ou fique apenas no campo das promessas. “Os ônibus elétricos já começaram a ser adquiridos, mês que vem vocês vão começar a vê-lo. É um projeto complexo. Não podemos prometer que tudo será resolvido em poucos meses. É um processo de dois anos. A reforma do Hemocentro no Eixo Anhanguera será um piloto que vão orientar as próximas estações”, salientou.

No entanto pediu paciência e disse que as melhorias serão gradativas. “Nos próximos 24 meses, haverá algum desconforto. Não tem como fazer reformas sem desconforto mas é por um bem maior. Podem ter certeza que tudo de melhor que a gente planejou baseado nas melhores práticas do mundo estão sendo implementadas e progressivamente a população vai entender isso”, completou.