DIGNIDADE MENSTRUAL

Mulheres em situação de vulnerabilidade podem receber absorventes de graça em Goiânia

Itens podem ser retirados em farmácias populares; saiba como

Mulheres em situação de vulnerabilidade podem adquirir absorventes gratuitos em Goiânia
Mulheres em situação de vulnerabilidade podem adquirir absorventes gratuitos em Goiânia (Foto: Marcello Casal Jr. - Agência Brasil)

Mulheres em situação de vulnerabilidade social podem adquirir a absorventes de forma gratuita em Goiânia. Para receber o benefício é preciso ter registro no Cadastro Único (CadÚnico), ter idade entre 10 e 49 anos e renda mensal familiar de até R$ 218 por pessoa.

Parte do Programa Dignidade Menstrual, do Governo Federal (destinado a brasileiras ou estrangeiras que vivem no País), a medida também inclui estudantes das instituições públicas. Estas, da mesma forma, devem estar no CadÚnico, mas a renda familiar mensal por pessoa pode ser de até meio salário mínimo. No caso de mulheres em situação de rua, não há limite de renda.

De acordo com informações da Secretaria Municipal de Políticas para as Mulheres (SMPM) de Goiânia, os absorventes pode ser retirados nas farmácias populares da capital – são aproximadamente 300 unidades autorizadas. No momento de adquirir o item, é preciso mostrar um documento oficial com foto e CPF e a ‘Autorização do Programa Dignidade Menstrual’, em formato digital ou impresso, fornecida por meio do aplicativo Meu SUS Digital.

A SMPM explica que, caso haja dificuldade em gerar o documento, basta que a beneficiária procure uma Unidade Básica de Saúde (UBS) ou os Centros de Referência em Assistência Social (Cras), Centros Pop e equipes do Consultório na Rua.

Programa Dignidade Menstrual

Do Ministério da Saúde, do Governo Federal, o Programa Dignidade Menstrual tem por objetivo “cuidar da saúde das pessoas que menstruam, garantindo que essas pessoas acessem espaços tendo os seus direitos respeitados”. Ainda segundo a pasta, o projeto visa promover a equidade de gênero, justiça social, educação e direitos humanos.

No País, segundo o Ministério, são cerca de 24 milhões de pessoas beneficiadas, que estão entre 10 e 49 anos, e que não têm acesso a esse item fundamental durante o ciclo menstrual. Outras informações podem ser adquiridas pelo Disque Saúde pelo número 136.