assista ao vídeo

Preso destrói sala de audiência ao saber que ficará na cadeia, no DF

Algemado, o preso grita, xinga e chuta uma divisória em acrílico sobre a mesa

Preso destrói sala de audiência ao saber que ficará na cadeia, no DF Algemado, o preso xinga e chuta uma divisória em acrílico sobre a mesa

Na manhã do último domingo (30), um preso destruiu uma sala de audiência de custódia no Distrito Federal após receber sentença de prisão em flagrante convertida para preventiva. Um vídeo mostra o momento em que o custodiado se revolta no Núcleo de Audiência de Custódia do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT) em São Sebastião.

Segundo a Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF), o homem e outro custodiado que participava da audiência foram presos em flagrante com uma moto furtada. Ambos possuem passagens por atos infracionais análogos a crimes cometidos quando ainda eram menores de idade.

O custodiado que reagiu cumpre pena em prisão domiciliar por roubo praticado com emprego de violência e/ou uso de arma de fogo. Ainda de acordo com a PCDF, ele foi interno do sistema socioeducativo por ato infracional análogo a crime de roubo cometido na adolescência. O outro responde a um processo por homicídio.

A Defensoria Pública do Distrito Federal (DPDF) pediu a liberdade provisória de ambos sem pagamento de fiança, alegando que a prisão em flagrante não envolveu violência ou grave ameaça. O Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT), entretanto, sustentou que a liberdade dos dois indivíduos representaria risco à sociedade.

Vídeo: Preso destrói sala de audiência ao saber que ficará na cadeia, no DF

Ao analisar o caso, o juiz diz: “O investigado tem personalidade voltada à prática delitiva. Para garantia da ordem pública, o senhor permanecerá preso”.

Algemado, o preso grita, xinga e chuta uma divisória em acrílico sobre a mesa, sendo contido por policiais. O custodiado reage, quebra parte do móvel da sala e é retirado do ambiente.

Depois da cena, foi emitida uma ordem de diligência para pedir à PCDF que apure as “infrações penais de desacato, desobediência e eventual dano ao patrimônio público, em tese, cometidas pelo custodiado durante a audiência”.

Justiça mantém preso pastor Davi Passamani em audiência de custódia; leia