OPERAÇÃO

Presos 14 suspeitos de traficar drogas em Goiás e em outros três estados

Quadrilha seria formada por comparsas de Marcelo Zói Verde, traficante goiano que foi assassinado na Bolívia

Veículo apreendido no âmbito da operação interestadual contra o tráfico de drogas (Foto: Reprodução)
Veículo apreendido no âmbito da operação interestadual contra o tráfico de drogas (Foto: Reprodução)

A Policia Civil de Goiás cumpriu nesta terça-feira (27) em três estados, e no Distrito Federal, 14 mandados de prisão, e 22 de busca e apreensão contra suspeitos de integrar uma quadrilha que traficava cocaína e skunk, droga conhecida como “super maconha”. De acordo com as investigações, que começaram após várias apreensões realizadas no ano passado em Goiás, o grupo criminoso seria formado por comparsas de Marcelo Gomes de Oliveira, o “zói verde”, traficante goiano que foi assassinado na Bolívia em 2017.

As investigações que levaram aos nomes dos 14 suspeitos começaram depois de quatro apreensões, em 2020, em Goiás, de 420 quilos de cocaína, e 140 quilos de skunk. Um fato nestas apreensões chamou a atenção dos agentes da Delegacia Estadual de Repressão aos Narcóticos (Denarc). O de duas camionetes terem sido adaptadas com fundos falsos exclusivamente para o transporte dos entorpecentes.

Apesar do alto volume de entorpecentes apreendidos em Goiás no ano passado, a quadrilha, de acordo com as investigações, conseguiu traficar mais de duas toneladas de cocaína pura. Os entorpecentes, apuraram os policiais, eram comprados no Mato Grosso, ficavam armazenados por alguns dias em Goiás, e depois eram enviados em camionetes para o Rio Grande do Norte, e para o Distrito Federal.

“A prisões e apreensões, apesar de provocarem um considerável prejuízo, não alteravam o esquema criminoso, já que outro motorista logo era contratado, e o tráfico continuava. Agora, porém, nós atingimos toda a engrenagem, prendendo, desde o mecânico que adulterava as camionetes, até o verdadeiro dono do entorpecente”, relatou o delegado Fábio Meireles, titular da Denarc.

Três dos mandados de prisão preventiva expedidos foram cumpridos no Mato Grosso, um no Rio Grande do Norte, um no Distrito Federal, e nove em Goiás. Entre os presos, há motoristas, acionistas financeiros, grandes compradores de drogas, e um homem que é apontado como um dos maiores traficantes em atividade no Brasil, Ricardo Cosme, capturado em Cuiabá. Além das prisões e mandados de busca e apreensão, a polícia também conseguiu bloquear R$ 20 milhões em bens.

Alguns dos presos hoje, ainda de acordo com o titular da Denarc, eram comparsas de Marcelo Gomes de Oliveira, traficante que foi preso pela Denarc em 2014, e um ano após sair da cadeia com um alvará falso, acabou fuzilado na Bolívia, onde vivia com nome e documentos falsos. Com exceção de Ricardo Come, os outros 13 presos durante a operação desta terça-feira não tiveram nomes, nem idades divulgados. Eles responderão por tráfico de drogas, e associação para o tráfico.