CINEMA LGBTI+

DIGO: festival goiano de cinema divulga filmes selecionados

O Festival DIGO, que abre as portas para o cinema LGBTI+, divulgou as obras que serão apresentadas de 03 a 06/06

Festival de cinema goiano DIGO
Reconexões, de Carolina Timotteo - SE (Foto: Divulgação)

O Festival Internacional da Diversidade Sexual e de Gênero de Goiás (DIGO), chega em sua 6ª edição, sendo realizada em formato virtual pela segunda vez consecutiva, já que o cenário ainda é de pandemia. Com tema de importante relevância social, neste ano será abordado o papel da mulher LGBTI+ no cinema, apresentando curtas e longas-metragens que narram sobre a temática.

Durante a etapa de inscrições do processo seletivo, que teve fim em 15 de abril e estava aberto para produções de todo o mundo, o festival recebeu nada menos que 612 filmes, sendo São Paulo o estado com maior percentual de filmes inscritos, seguido do Rio de Janeiro. Produções internacionais também foram enviadas para avaliação, com obras da Espanha, Estados Unidos, Holanda, Finlândia, Bélgica, Áustria, Peru, Colômbia, México, Istambul, entre outros.

Ao todo, foram selecionadas 41 produções pela curadoria do projeto, que serão exibidas gratuitamente entre os dias 3 e 9 de junho, em diferentes categorias, pelo site do Festival Digo (clique aqui para acessar).

Para a categoria Competitiva Mulheres LGBTI+, fora selecionados 7 filmes, são eles: “Aonde vão os pés” direção de Débora Zanatta (PR); “Beatmakers” de Luciana Santos e Sabrina Emanuelly (SP); “Entre” de Ana Carolina Marinho e Luz Bárbara (SP); “Isolada” de Ana Domitila Rosa (GO); “Polifonia – mulheres na técnica” de Thais Robaina (SP); “Quem eles pensam que eu fui” de Débora Fiuza (RJ) e “Reconexões” de Carolina Timoteo (SE).

Além disso, o festival apresenta ainda outras quatro mostras competitivas – Nacional, Internacional, de Longas-Metragens e “A Pandemia é Política”. Para fechar, também é possível contar com a categoria “The Opens Reel“, que não é competitiva e apresenta os filmes premiados pela distribuidora The Open Reel.

Além do site do Festival DIGO, a plataforma Cinebrac – streaming de curtas, séries e filmes brasileiros – também exibirá uma mostra especial com as produções apresentadas no DIGO, durante todo o mês de junho e com acesso gratuito. O evento tem o apoio da Lei Municipal de Incentivo a Cultura e o público terá acesso gratuito aos filmes. Os produtores inscritos vão concorrer ao troféu DIGO e a diversos prêmios e bolsas de estudos em cinema.

Confira abaixo as produções selecionadas para o 6º Festival DIGO:

Abaixo você confere todos os filmes selecionados, com a categoria correspondente, nome do filme, direção, origem, gênero e duração (indicada pelo símbolo ‘). A classificação indicativa é 18 anos.

Competitiva Nacional

  • De vez em quando eu ardo, Carlos Segundo, RN, Ficção 15´
  • E agora, Maria? Bruna Maria e Camila Gregório, BA, Ficção 25´
  • Em caso de fogo pegue o elevador, Fernanda Reis, RS, Ficção 12´57
  • Fotos Privadas, Marcelo Grabowsky, SP e RJ, Ficção 20′
  • Homens invisíveis, Luis Carlos de Alencar, RJ, Doc 25´
  • Inabitável, Matheus Farias e Enock Carvalho, PE, Ficção 20´
  • Memória de quem (não fui), Thiago Kistenmacker, RJ, Ficção 15´
  • O que pode um corpo, Victor Di Marco e Márcio Picoli, RS, Ficção 14´
  • Queens Vs Zombies From Outer Space, Danilo Morales, SP, Ficção 21´
  • Vagalumes, Léo Bittencourt, RJ, Experimental 19´

Competitiva Mulheres LGBTI+

  • Aonde vão os pés, Débora Zanatta, PR, Ficção 14´
  • Beatmakers, Luciana Santos e Sabrina Emanuelly, SP, Doc 22´
  • Entre, Ana Carolina Marinho e Luz Bárbara, SP, Ficção 15´Isolada, Ana Domitila Rosa, GO, Ficção, 12´
  • Polifonia – mulheres na técnica, Thais Robaina, SP, DOC, 24´
  • Quem eles pensam que eu fui, Débora Fiuza, RJ, Ficção 14´18
  • Reconexões, Carolina Timoteo, SE, Experimental, 4´

Competitiva “A Pandemia é Política”

  • Café com Rebu, Danny Barbosa, PB, Ficção 13´
  • Cura-me, Eduardo Varandas Araruna, PB, Ficção 16´42
  • DOIS, Guilherme Jardim e Vinícius Fockiss, MG, Ficção 10´
  • Eu, poesia para quem, Gleig de Souza, GO, Ficção 16´
  • Fora de época, Drica Czech e Laís Catalano Aranha, SP, Ficção 13´
  • LGBTerroristas, Rai Gandra, SP, Docudrama 16´

Competitiva Internacional

  • Água, Santiago Zermeño, México, Ficção 14´
  • Babtou Fragile, Hakim Mao, França, Ficção 20´
  • Dois homens ao mar, Gabriel Motta, Brasil, Estônia, Ficção 17´
  • Hugo: 18h30, James Maciver, França, Ficção 13´13
  • It’s Just in My Head, Marius Gabriel Stancu, Itália, 2020, 17´
  • Mourn O Nature, Nino Laisné e François Chaignaud, França, Ficção, 9´57
  • Privilegiada, Alex de la Croix, Espanha, Ficção 10´22
  • Pulsion, Vincent Menjou-Cortès, França, Ficção 8´

Competitiva de Longas-Metragens

  • Mães do Derick, Dê Kelm, PR, Documentário, 77´
  • Limiar, Coraci Ruiz, SP, Documentário, 77´
  • Vento Seco, Daniel Nolasco, GO Ficção 110´

Mostra Não Competitiva The Open Reel

  • J’ador, Simone Bozzelli, Itália, 2020, 16
  • Mani, Ashkan Mehri, Irã, 2019, 15′
  • Panthers, Èrika Sánchez, Espanha, 2020, 22′
  • Paradise, Santiago Henao Vélez, Manuel Villa, Colômbia, 2020, 19´
  • Pig for Pigs, Benjamin Bodi, Espanha, 2020, 11´
  • Screenshots for a Goodbye, Ruth Caudeli Colômbia, 2020, 10′
  • Ten Times Love, Manuel Billi, Benjamin Bodi, França, 2020, 15′

Serviço

DIGO – Festival Internacional da Diversidade Sexual e de Gênero de Goiás

Quando: 03 a 09 de junho

Onde: site Festival DIGO

Acesso: gratuito

Classificação: 18 anos

Leia também: