NÃO DEU TEMPO

Chrystian receberia transplante de rim da esposa no final do ano

Chrystian sofria de uma condição genética chamada rim policístico

Chrystian receberia transplante de rim da esposa no final do ano
Chrystian (Foto: Reprodução)

O cantor Chrystian, que faleceu aos 67 anos na última quarta-feira (19), estava se preparando para um transplante de rim no final deste ano, com sua esposa Key Vieira sendo a doadora. Chrystian sofria de uma condição genética chamada rim policístico, o que tornava o transplante necessário, conforme informações do G1.

A cirurgia seria realizada pelo médico José Medina Pestana. Em uma nota divulgada em fevereiro deste ano, a assessoria do cantor detalhou que ele precisava tomar um medicamento para afinar o sangue, o que permitiria a realização de um cateterismo antes do transplante. “Durante os exames pré-operatórios, que aconteceram no mesmo hospital, foi preciso realizar um cateterismo no paciente. Esse procedimento exige o uso de uma medicação para afinar o sangue por seis meses, e durante este tratamento não é permitido realizar uma cirurgia”, explicou a nota.

A doença renal policística é uma condição hereditária, ou seja, se um dos pais possui a doença, há a possibilidade de transmiti-la aos filhos durante a formação. Lúcio Requião, presidente da Sociedade Brasileira de Nefrologia e diretor clínico do Hospital do Rim (SP), afirma que uma a cada mil pessoas têm essa condição, o que a torna relativamente comum. “Para cada característica que é definida geneticamente, temos um gene herdado da mãe e um gene herdado do pai. Quando a doença é autossômica dominante, basta que um dos dois genes herdados esteja afetado para que a doença se manifeste. Então, em geral, quem tem rim policístico tem um pai ou uma mãe com a mesma doença”, explicou o médico.

Apesar de ser mais comum em homens, Ricardo Araújo Mothé, presidente da Sociedade Goiana de Nefrologia, esclarece que essa condição não está ligada ao cromossoma que define o sexo.