DE OLHO EM OUTUBRO

Policial rodoviário Fabrício Rosa deixa o PSol e se filia ao PT

Policial rodoviário federal obteve mais de 4 mil votos para vereador por Goiânia em 2020

Ainda há conversa no PT pelo nome de José Eliton ao governo, diz Fabrício Rosa
Ainda há conversa no PT pelo nome de José Eliton ao governo, diz Fabrício Rosa (Foto: Reprodução)

O policial rodoviário federal Fabrício Rosa deixou o PSol e se filiou ao PT na noite de quinta-feira (31), em evento cultural no SindSaúde, em Goiânia. Ligado ao ativismo LGBTQIA+, o policial deve se lançar candidato a deputado estadual em outubro.

Fabrício afirma que a saída dele do PSol, partido pelo qual concorreu à Câmara Municipal de Goiânia em 2020, tem relação com uma ampliação política contra o que chama de vazio na política brasileira e sofrimento imposto ao povo brasileiro pelo governo Jair Bolsonaro (PL).

“Sou um apaixonado e admirador do PSol, mas metade do partido está querendo lançar candidatura própria. Outra metade quer apoio crítico ao Lula. É momento de ingressar para dentro do poder e puxar o Partido dos Trabalhadores para a esquerda, é momento de dar a cara a tapa”, diz ao Mais Goiás.

Mudança de partido foi tomada de forma coletiva

Fabrício Rosa diz ainda que a decisão de sair do PSol e se filiar ao PT foi tomada em comum acordo com os movimentos sociais os quais integra, LGBT, de crianças e adolescentes, antiproibicionistas e de policiais de esquerda.

“É uma decisão coletiva e foi bem recebido pelo PT, que já havia feito convites”, pontua.

O policial rodoviário federal obteve 45.833 votos quando disputou ao Senado em 2018 e 4.299 para a Câmara Municipal, mas não foi o suficiente para eleger.