ELEIÇÕES 2024

‘Só aqueles que torcem contra Aparecida querem ‘plano B’, diz prefeito Vilmar

Ele também minimizou qualquer divergência com o ex-prefeito do município, Gustavo Mendanha

Vilmar Mariano, em entrevista ao Mais Goiás (Foto: Divulgação)

O prefeito de Aparecida de Goiânia, Vilmar Mariano (União Brasil), declarou em entrevista exclusiva ao Mais Goiás que não acredita em um “plano B” na base governista em Aparecida e por isso, será a partir das convenções o candidato do governador Ronaldo Caiado (União Brasil), no município. Ele minimiza, inclusive, qualquer desgaste existente com o ex-prefeito de Aparecida, Gustavo Mendanha (MDB) e aponta que houveram “divergências” que foram resolvidas.

Salientou, inclusive, que apenas os que ‘torcem contra o ciclo de evolução da cidade’ iniciado pelo ex-prefeito, Maguito Vilela (MDB) gostariam de vê-lo fora do circuito. “São aqueles que querem o mal da cidade, aqueles que querem interromper o ciclo de evolução da cidade Aparecida. Eles querem o mal mesmo. Você pode ter certeza”, destacou ao Mais Goiás.

Ele aponta ter convicção que irá para as urnas, nas eleições de outubro, com apoio de todos da base governista em seu palanque. “Não tenho dúvida nenhuma que serei o candidato da base aliada. Sou do partido do governador, estou alinhado com Daniel Vilela, com o Gustavo Mendanha. Não tem chance nenhuma de plano B”, salientou.

Vilmar minimiza qualquer divergência que teve com Gustavo Mendanha. Questionado como viu o rompimento anunciado pelo ex-prefeito no dia 3 de abril, Mariano contestou e disse que a dupla não chegou a romper politicamente. “Eu não acredito que tenha existido rompimento. Se existisse isso, não haveria reagrupamento. Existiu divergência de ideias naquele momento e ao longo do dia, conversamos com alguns aliados, amigos e parceiros”, destacou.

Vilmar Mariano diz que não se preocupa com pesquisa

O prefeito Vilmar Mariano também minimiza as pesquisas de intenção de voto em que aparece atrás do lider, o deputado federal professor Alcides Ribeiro (PL). Diz que elas refletiam um outro momento onde ele não tinha o apoio do grupo do governador Ronaldo Caiado. Lembra, inclusive, que o cenário é parecido com o momento prévio à 2016.

“Pesquisa é um retrato de momento. Em 2016, você acompanhou e você sabe como ficou. Alcides com 38%, Marlúcio com 28%, e Gustavo com 3%. No final, o Alcides ficou em terceiro, o Alcides com 14%, o Marlúcio com 17% e o Gustavo com 59%. Pesquisa retrata o momento. Será que no momento das eleições ele estará assim?”, indaga.

Vilmar destaca que não se preocupa com os números atuais e que vai trabalhar para fazer uma boa administração. “O que menos me preocupa é a pesquisa. O que mais me preocupa é trabalhar para o povo. Nada supera uma boa gestão”, salientou.

Ele destaca que hoje tem um contexto político favorável ao seu nome. “Será que essas pesquisas quando foram feitas, eu tinha o apoio do Caiado, Daniel e Gustavo?  Eu tenho apoio incondiciconal do Bruno Peixoto. De vários líderes partidários que não estavam comigo enquanto essas pesquisas foram feitas”, salientou.