LGBT

Fifa ameaça dar cartão amarelo, e seleções desistem de braçadeira contra homofobia

Inglaterra, País de Gales, Holanda, Bélgica, Suíça, Alemanha e Dinamarca afirmam que não utilizarão o acessório por conta da punição

'Estamos aqui para jogar' diz o presidente da CBF Copa do Mundo: Seleção brasileira não vai se manifestar contra discriminação
Harry Kane, da Inglaterra, seria um dos capitães a utilizar a braçadeira (Foto: Folha de São Paulo)

Os capitães de Inglaterra, País de Gales, Bélgica, Holanda, Suíça, Alemanha e Dinamarca não usarão a braçadeira “OneLove” (um amor) na Copa do Mundo. A Fifa deixou claro que eles seriam punidos, disseram as associações em um comunicado conjunto nesta segunda-feira (21).

“Você não quer que o capitão comece a partida com um cartão amarelo. É por isso que é com o coração pesado que nós, como grupo de trabalho da UEFA, e, como equipe, decidimos abandonar nosso plano”, disse a federação holandesa, em comunicado.

A federação acrescentou, ainda, que a Fifa deixou claro que o capitão Virgil van Dijk receberia um cartão amarelo se entrasse em campo usando a braçadeira como planejado. Esse aviso aconteceu horas antes da partida, marcada para as 13h.

Eles disseram estar “profundamente desapontados” com a postura da Fifa e não deixariam a atitude passar despercebida.

“Isso vai contra o espírito do nosso esporte, que une milhões de pessoas. Juntamente com outros países envolvidos, analisaremos criticamente nossa relação com a Fifa.”

A braçadeira foi projetada para transmitir uma mensagem “contra qualquer forma de discriminação”, disse a federação holandesa.

De acordo com as regras da Fifa, o equipamento da equipe não deve conter slogans, declarações ou imagens políticas, religiosas ou pessoais e, durante as competições da entidade, o capitão de cada equipe “deve usar a braçadeira de capitão fornecida pela Fifa”.

O País de Gales disse que os países envolvidos estavam preparados para pagar multas que normalmente se aplicariam a violações dos regulamentos de uniformes, mas as sanções esportivas foram um passo longe demais.

“Como federações nacionais, não podemos colocar nossos jogadores em uma posição em que possam enfrentar sanções esportivas, incluindo cartões amarelos, por isso pedimos aos capitães que não tentem usar as braçadeiras nos jogos da Copa do Mundo da Fifa.”