DICAS

Redação do Enem: professores apostam em temas como fake news e mobilidade

No ano passado, somente 20 estudantes obtiveram nota mil na prova de redação no Brasil, sendo uma delas em Goiás

Inscrições para o Enem 2024 terminam nesta sexta-feira dia 7 Provas serão aplicadas nos dias 3 e 10 de novembro
(Foto: Reprodução - Agência Brasil)

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2022 se aproxima, com a aplicação de provas nos dias 13 e 20 de novembro. Ao todo, 138.979 estudantes estão inscritos em Goiás, considerando as duas versões do exame, impressa e digital. No primeiro dia de provas, os estudantes enfrentarão a temida prova de redação, que sempre aborda problemáticas sociais do país. No ano passado, somente 20 estudantes obtiveram nota mil na prova de redação no Brasil, sendo uma delas em Goiás.

O Mais Goiás ouviu professores e professoras de Goiás, a fim de saber quais são os palpites mais frequentes a respeito do tema que será cobrado no exame deste ano. Entre as principais apostas estão: mobilidade urbana, o combate às fake news, inclusão digital, a importância da educação financeira, o uso da tecnologia na agricultura e o cyberbullying.

O método de escolha dos temas das redações é sigiloso, mas sabe-se que as temáticas costumam abordar problemas sociais do país e fatos que afetam diferentes grupos sociais. O tema da aplicação regular do Enem 2021 foi “Invisibilidade e registro civil: garantia de acesso à cidadania no Brasil”. Já na reaplicação do exame, a redação foi sobre “Reconhecimento da contribuição das mulheres nas ciências da saúde no Brasil”.

Segundo a professora de língua portuguesa Camilla Angélica Dantas, as “previsões” são, na realidade, uma brincadeira que ajuda os docentes a dialogarem e, principalmente, prepararem os estudantes para escreverem sobre os mais variados assuntos.

“Ensinar esse aluno a estruturar um bom texto, fazer um parágrafo coerente, desenvolver uma proposta de intervenção que faça sentido com o que ele disse antes, é muito mais importante do que acertar o tema da redação. Porque um aluno que organiza bem suas ideias consegue um bom resultado independente do tema“, enfatiza Camilla.

Dificuldades na redação do Enem

Camilla prepara estudantes para a prova de redação do Enem há seis anos. Ela diz que, a cada ano que passa, os alunos têm procurado na internet “fórmulas prontas” de como escrever um bom texto. Na opinião da especialista, ao invés de facilitar, essa técnica limita a capacidade dos estudantes de pensarem sozinhos e compreenderem o que a frase-tema está exigindo. “Cada texto opera de uma forma”, conclui.

O professor de língua portuguesa Augusto Narikawa, atua na área há 20 anos e analisa que existem algumas dificuldades muito frequentes entre os alunos com relação à redação do Enem. Uma delas é a interpretação de texto, pois muitos estudantes não entendem o verdadeiro tema da prova e sobre o que devem escrever. É a conhecida ‘fuga ao tema’.

Outros fatores que atrapalham os alunos, segundo Narikawa, é a falta de planejamento e de leitura. Isso faz com que os estudantes não tenham repertório sócio-cultural para usarem como argumentos na dissertação. Além disso, é comum a dificuldade de fazer com que os textos tenham coesão e coerência.

“Eles têm uma dificuldade imensa em trabalhar elementos conectores, em fazer com que o texto tenha “liga”, como a gente chama”, chama atenção o professor.

O que ajuda na preparação da redação do Enem?

O professor e especialista em redação há 11 anos, Paulinho Kuririn, afirma que uma excelente dica nessa etapa final de preparação do Enem é a leitura de redações nota mil de outros estudantes que já passaram pelo processo. “Isso irá ilustrar o que os corretores gostam de ler. Ainda é possível treinar o uso de conectivos, frases de efeito, entre outras, que serão de grande valia no dia do exame”, aposta.

Paulinho Kuririn orienta que o processo estrutural é muito cobrado no Enem, a começar pela estética. As margens devem ser respeitadas e a letra deve legível. O repertório sócio cultural é sempre analisado, assim como o desenvolvimento de uma intervenção bem elaborada e detalhada e com o bom uso de conectivos.

Por fim, o professor enfatiza: “escreva o máximo possível, preferencialmente as 30 linhas. Isso não é regra, mas ao observar as redações que alcançaram nota mil, observa-se facilmente que a grande maioria escreveu o máximo possível”.

Fique atento aos critérios de avaliação

De acordo com a Cartilha do Participante, disponibilizada pelo Inep, a redação do Enem é avaliada a partir de cinco competências.

Na primeira, o participante deve demonstrar domínio da modalidade escrita formal da língua portuguesa. Na segunda, compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.

Já a terceira competência exige que o participante selecione, relacione, organize e interprete informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista. A quarta, exige que demonstração de conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação. Por fim, a quinta exige que o participante elabore uma proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

A redação receberá nota zero se apresentar uma das características a seguir:

  • fuga total ao tema;
  • não obediência à estrutura dissertativo-argumentativa;
  • extensão de até sete linhas;
  • cópia integral de texto(s) motivador(es) da proposta de redação e/ou de textos motivadores apresentados no caderno de questões;
  • impropérios, desenhos e outras formas propositais de anulação;
  • parte deliberadamente desconectada do tema proposto;
  • assinatura, nome, apelido ou rubrica fora do local devidamente designado para a assinatura do participante;
  • texto integralmente em língua estrangeira;
  • desrespeito aos direitos humanos;
  • folha de redação em branco, mesmo que haja texto escrito na folha de rascunho.