HQ

Escolas de Goiânia recebem história em quadrinhos sobre Maria da Penha

“Ter em mãos um material didático a ser trabalhado dentro das escolas abre caminhos para uma discussão extremamente importante no meio familiar”, diz a autora

Escolas de Goiânia recebem história em quadrinhos sobre Maria da Penha
Escolas de Goiânia recebem história em quadrinhos sobre Maria da Penha (Foto: Divulgação)

Três escolas de Goiânia recebem, nesta semana, a história em quadrinhos “Maria da Penha nas Escolas” e debatem violência contra a mulher, nesta semana. A obra já chegou a 600 alunos do Colégio Estadual João José Coutinho, no Conjunto Vera Cruz I, nesta segunda-feira (20), pelas mãos da autora Manoela Barbosa.

Vale citar, o intuito do projeto é discutir a violência contra a mulher com crianças, adolescentes e educadores. Além de Manoela, o livro tem como co-roteirista Lara Damiane, que também ilustra a HQ.

A história, como o nome sugere, acompanha Maria da Penha, a farmacêutica brasileira que foi vítima de violência doméstica e se tornou símbolo da luta em combate à violência contra a mulher, bem como a sanção da Lei Federal no 11.340/2006, popularmente conhecida como Lei Maria da Penha. A obra adapta o contexto para crianças de 7 a 12 anos e, junto com o material, é disponibilizado um manual para os professores e uma versão em braile para crianças com deficiência visual.

Idealizadora do trabalho, Manoela diz que “ter em mãos um material didático a ser trabalhado dentro das escolas abre caminhos para uma discussão extremamente importante no meio familiar”. Ainda segundo a autora, “o objetivo é constituir parcerias para que toda a rede estadual de ensino tenha acesso ao material”.

Além da ação nesta segunda, na quarta-feira (22) a história em quadrinhos de Maria da Penha será entregue no Colégio Estadual Solon Amaral e Colégio Estadual Edmundo Rocha, nos Conjuntos Vera Cruz I e II, respectivamente, ambos em Goiânia. Na quinta-feira (23), é a vez do Colégio Estadual Severina Maria de Jesus, em Aparecida de Goiânia; e na sexta-feira (24), na Cidade de Goiás, em local a definir.

A programação de lançamento começou em 7 de março, na Assembleia Legislativa do Estado de Goiás (Alego). Já em 8 de março, Dia Internacional da Mulher, foram feitos dois eventos: no Centro Cultural Gustav Ritter e no Instituto de Pós-graduação e Graduação (Ipog). Depois, a autora esteve em escolas de Anápolis, Uruaçu e Goianésia.

Destaca-se, o projeto atende acompanha a Lei Estadual no 21.202, que institui a “Política de Divulgação da Lei Maria da Penha nas Escolas”. O intuito é sensibilizar o público escolar sobre a Violência Doméstica e Familiar contra a mulher e divulgar a Lei Maria da Penha.     

Violência contra a mulher

Segundo dados da Secretaria de Segurança Pública de Goiás (SSP-GO), 105 mulheres foram agredidas, por dia, durante o ano de 2022 no Estado. Ainda conforme a pasta, 38,4 mil mulheres sofreram algum tipo de violência (feminicídio, estupro, ameaça, lesão corporal, crimes contra a honra).

No País, o Anuário Brasileiro de Segurança Pública, de dezembro de 2022, informa aumento de 10,8% nos casos de feminicídio no Brasil, entre o primeiro semestre de 2019 e o mesmo período de 2022. No Centro-Oeste, 29,9%.