ACUSAÇÕES

Justiça notifica Amado Batista por declarações sobre Lula e seus filhos

Cantor terá que se manifestar em 15 dias sobre declarações de que o ex-presidente e seus filhos teriam praticado roubo durante os governos petistas

Cantor Amado Batista em cena do documentário
Cantor Amado Batista em cena do documentário "Vou Rifar Meu Coração", de Ana Rieper (Foto: Divulgação)

O Tribunal de Justiça de Pernambuco determinou que o cantor Amado Batista seja notificado e se manifeste no prazo de 15 dias sobre declarações de que o ex-presidente Lula e seus filhos teriam praticado roubo durante os governos petistas.

O ex-presidente Lula ingressou com a interpelação judicial e pedido de explicações no dia 28 de junho. Na segunda (5), o juiz José Anchieta Felix da Silva, da 5ª Vara Criminal da Capital, determinou a notificação do cantor.

As declarações foram dadas em entrevista ao programa “Frente a Frente”, transmitido pela Rede Nordeste de Rádio. “Antes do Bolsonaro, o dinheiro brasileiro era investido para ajudar países comunistas”, afirmou o apresentador Magno Martins, que disse citar o ministro do Turismo, Gilson Machado.

Amado, então, completou: “Além de roubar pra caramba, né? Além de ter roubado pra caramba. Existem pessoas que eram pobres antes do comunismo aqui, antes da esquerda, e que estão milionários hoje.”

O jornalista questionou se o ex-presidente Lula se encaixava na condição descrita pelo cantor —que confirmou. “Com certeza. Tanto ele quanto os filhos dele, né?”

Conforme a coluna noticiou, o filho do ex-presidente Fábio Luís Lula da Silva, o Lulinha, ingressou com queixa-crime por injúria contra Amado Batista. Amado também chegou a afirmar na entrevista que um dos filhos de Lula é latifundiário. “É só ir pro Pará, lá pro Mato Grosso, para vocês verem. Ao vivo e a cores.”

A queixa-crime apresentada à Justiça diz que, por causa das declarações do cantor, o filho do ex-presidente foi obrigado a assistir injusta ofensa contra si e contra seus familiares.